GIANT DRAG
Hearts And Unicorns
[2006, Interscope]

Algo anda errado com o pop. Seu nome é Annie Hardy e ninguém deu muita bola pra ela. Junto a Micah Calabrese, outra metade pensante da banda, Annie formou o Giant Drag em 2003. No ano passado lançaram este Hearts And Unicorns (lançado este ano no Reino Unido), depois de um disco também muito bom, o Lemona.

O disco, assim como sua vocalista, buscam retomar um espírito cínico dos anos 1990. Hardy coloca suas perturbações à mostra, com letras que vão do humor negro ao bizarro. Já começa com “Kevin Is Gay”, mostrando que já levou muito pé na bunda e não está nada feliz. Mas suas letras ainda pegam mais pesado em suas frustrações em canções como “You Are Full Of Shit”, “Everything is Worse” e “Yflmf” que é uma sigla para You Fuck Like My Father. Nada é fake em Annie. Já disseram que ela é uma Mazzy Star com perversões sexuais. Ou Nirvana com TPM. O som ecoa o início do grunge desde a primeira faixa, mas Hearts and Unicorns vai mais fundo, se agarrando à melodias tristes cantadas por Annie num clima de quem revive um momento ruim.

É assim com “Smashing”. Nessa hora, dá pra imaginar todas aquelas bandas shoegazer em sua trip deprê, mas esse não é o caso do Giant Drag; a banda tem outras formas de exorcizar momentos ruins, usando sarcasmo e cinismo. Pra quem apostou num revisionismo dos anos 1990, tentando achar uma nova Breeders, se ferrou. Annie passou a perna em todos. [Paulo Floro]

NOTA:: 8,0


Giant Drag – “Kevin Is Gay”

Sem mais artigos