Em novo CD, banda se mostra mais madura sem perder a ‘pegada’ rockeira

Foo Fighters


FOO FIGHTERS

Echoes, Silence, Patience & Grace
[RCA, 2007]

Foo Fighters - Echoes, Silence, Patience & Grace O rock atual foi tomado pelas bandas surgidas via My Space e similares. As maiores novidades injetadas no gênero têm vindo de grupos muito jovens (Arcade Fire, Arctic Monkeys e mais um punhado de nomes da cena indie) que conseguiram chamar a atenção do público tanto pela música que fazem quanto pela rapidez como se colocaram nas paradas. Diante desse cenário, o que podemos esperar das bandas remanescentes dos anos 1990? Se depender do Foo Fighters, a resposta para a questão é: amadurecimento e uma sonoridade mais elaborada. Prova disso é o lançamento de Echoes, Silence, Patience & Grace – novo álbum do grupo americano.

O primeiro single do trabalho é a ótima “The Pretender”, canção onde se destaca a bateria potente de Taylor Hawkins. A música, inclusive, lembra bem o estilo de grandes sucessos da banda como o hit “Learn to Fly”, de 1999. Na sequência vem a melhor faixa do trabalho: “Let It Die”, momento desabafo no qual Dave Grohl lembra do ex-companheiro do Nirvana, Kurt Cobain, e aproveita para dar uma alfinetada em Courtney Love (mulher de Kurt e desafeto do músico desde os tempos da onda grunge). Sobre a composição, o vocalista falou ao jornal inglês The Guardian que já viu muita gente perder tudo para as drogas e relacionamentos amorosos infelizes, mas que o mais impressionante de toda a sua vida foi o caso de Cobain e Love. “Já me irritei com muita gente na vida, mas Courtney é imbatível. Sendo assim, é óbvio que vez ou outra apareçam algumas menções a ela no meu trabalho”, completou Grohl, mesmo sem admitir que a música foi feita sobre o assunto.

No disco também percebemos a forte influência do pop/rock melódico dos anos 1970. “Statues” e “Summer´s End” fazem parte dessa linha. O momento balada tem sua melhor representante em “Stranger Things Have Happend” que conta com um belo arranjo “blueseiro” e com a voz de Grohl no tom certo. A instrumental “The Ballad of the Beaconsfield Miners” homenageia mineiros australianos que ficaram presos por duas semanas e esperaram pelo socorro ouvindo Foo Fighters.

Echoes, Silence, Patience & Grace é um exemplo de álbum simples e eficiente. Prova que o Foo Fighters soube atravessar a linha do tempo entre as décadas sem perder o vigor e, principalmente, consolida Dave Grohl e sua turma como rockeiros do primeiro time. [Gilberto Tenório]

NOTA: 8,0

Sem mais artigos