Foto: Divulgação

NO PÓDIO
Com som difícil de ser catálogado, grupo de Seattle lança álbum homônimo com legítimas aspirações à melhor revelação do ano
Por Mariana Mandelli

FLEET FOXES
Fleet Foxes
[Sub Pop, 2008]

Melodias belíssimas e arranjos delicados dominam o estilo do Fleet Foxes, definido como “baroque harmonic pop jams” pelos próprios integrantes. O grupo, formado em Seattle, conta com Robin Pecknold (vocal e guitarra), Casey Wescott (teclados), Skyler Skjelset (guitarra), Bryn Lumsden (baixo) e Nicholas Peterson (bateria) e com uma influência musical muito rica, que vai de Bob Dylan a Beach Boys, passando por Zombies, Neil Young, America, Seals & Crofts e pelos artistas da Motown.

O EP Sun Giant, muito bem recebido pela crítica e elogiado mundo afora, veio depois do convite do produtor Phil Ek (o mesmo do The Shins, Modest Mouse e do Built to Spill) para trabalhar com com ele. O resultado desse trabalho está registrado no EP e reverbera no debut da banda.

O disco abre com o coro de “Sun It Rises”, quase uma benção para o que está por vir na lírica seqüência de faixas que compõem a tracklist. Cordas, teclado e harmonia vocal dominam toda a beleza do álbum – um exemplo é “White Winter Hymnal”, uma mistura de indie pop, folk e sadcore que lembra muito uma canção do Shins. “He Doesn’t Know Why”, “Quiet Houses”, “Heard Them Stirring” e “Your Protector” também apresentam texturas atmosféricas que, polemicamente, assemelham-se ao estilo do My Morning Jacket – o próprio vocal de Robin Pecknold lembra o timbre country-psicodélico de Jim James.

“Ragged Wood” é a mais agitada com a bateria frenética de Nicholas Peterson, opondo-se ao clima melancólico das outras faixas, como as obscuras “Tiger Mountain Peasant Song” e “Meadowlark”, a épica “Blue Ridge Mountains” e a acústica dilacerante de “Oliver James”, a bonus track do disco.

O som do Fleet Foxes não é nenhuma novidade para quem gosta da banda de Jim James ou acompanha a carreira do Iron & Wine ou do Band of Horses, por exemplo, mas é um exercício de lirismo que faz bem a quem ouvir.

NOTA: 8,0

Fleet Foxes – White Winter Hymnal em Chicago

Sem mais artigos