Cena do documentário sobre as Pussy Riots (Divulgação)

Cena do documentário sobre as Pussy Riots (Divulgação)

Atualizado segunda (21) às 18h19: HBO comprou os direitos

Um dos filmes que torcemos para chegar logo no circuito de festivais aqui no Brasil é Pussy Riot: A Punk Prayer, documentário que recapitula e analisa a importância da banda feminina russa que causou alvoroço no mundo ao protestar contra o governo de Putin e a igreja. Dirigido por Mike Lerner e Maxim Pozdorovkin, o filme estreou no Festival de Sundance esta semana.

Leia Mais: Pussy Riot
Leia tudo o que já publicamos sobre as Pussy Riot
Opinião: O que as Pussy Riot têm a dizer sobre todos nós

Vestidas com máscaras coloridas, o grupo entrou em uma catedral em Moscou para realizar um ato de protesto contra a presença da igreja dentro do governo russo. Três integrantes foram presas e duas delas hoje cumprem pena em um campo de trabalho na Rússia. O apoio ao grupo ganhou alcance global e o vídeo da “oração punk” na igreja tornou-se viral.

Segundo o site The Hollywood Reporter, o filme tem uma variedade de material com qualidades contrastantes, o que prejudica o resultado final. O mesmo site diz que o doc contribui para manter vivo o diálogo sobre a atual situação da Rússia, sobretudo no que diz respeito ao direito (ou a falta) da liberdade de expressão.

Pussy_Riot_A_Punk_Prayer

Segundo o diretor Mike Lerner disse ao FoxNews, o filme começou a ser feito antes mesmo do grupo tornar-se assunto em todo o mundo. O que indica que as ações do coletivo já estavam começando a chamar atenção dentro da Rússia e arredores antes do protesto que as tornaram famosas.

A HBO comprou os direitos de exibição do filme, segundo informou o site da RollingStone. Não há previsão de quando será exibido, mas é uma boa notícia e dá uma possibilidade real de passar no Brasil.

Uma das integrantes, Yekaterina Samutsevich, que conseguiu a liberdade, participou de uma entrevista em Sundance, via Skype. Veja o vídeo abaixo.

Sem mais artigos