O 11º Festival de Cinema de Triunfo, realizado entre os dias 6 e 11 de agosto na cidade de mesmo nome no sertão pernambucano, anunciou seus vencedores. Organismo, de Jeorge Pereira foi o vencedor na categoria melhor filme de longa-metragem segundo o júri. O longa ainda levou os troféus de melhor ator para Guilherme Magnata e atriz para Bianca Joy Porte, bem como melhor som. O filme ainda levou o troféu segundo o júri popular.

Outro filme bastante premiado foi Amores de Chumbo, que ganhou como melhor roteiro, fotografia, direção (para Tuca Siqueira) e direção de arte (Séphora Silva).

Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento, foi o melhor curta. O festival este ano homenageou a atriz pernambucana Ilva Niño e o ator baiano João Miguel.

Confira os vencedores das mostras competitivas:

PREMIAÇÃO DO JÚRI OFICIAL DO FESTIVAL

CATEGORIA CURTA-METRAGEM:
– Melhor atriz: Arly Arnaud, pelo filme No fim de tudo
– Melhor ator: Silvério Pereira, pelo filme No fim de tudo
– Melhor Som: Richard Soares e William Tenório, pelo filme Cine São José
– Melhor Trilha Sonora: Henrique Macêdo, pelo filme Edney
– Melhor Direção de Arte: Chia Beloto, pelo filme Fazenda Rosa
– Melhor produção: Alexandre Soares Taquary, pelo filme Repulsa
– Melhor Montagem: Amandine Goisbault, pelo filme Nome de Batismo – Alice
– Melhor Fotografia: Roberto Iuri, pelo filme Entre Pernas
– Melhor Roteiro: Hilda Lopes Pontes, pelo filme 11 Minutos
– Melhor Direção: Carlos Nigro, pelo filme Casa Cheia
– Melhor Filme da Categoria Curta-Metragem dos Sertões: Uma balada para Rocky Lane, de Djalma Galindo
– Melhor Filme Infanto Juvenil: Médico de Monstro, de Gustavo Teixeira
– Melhor Filme Pernambucano: Nome de Batismo – Alice, de Tila Chitunda
– Melhor Filme da Categoria Curta-Metragem Nacional: Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento

CATEGORIA LONGA-METRAGEM NACIONAL
– Melhor filme da categoria Longa Metragem: Organismo, de Jeorge Pereira
– Melhor Personagem de Longa-Metragem | Troféu Fernando Spencer: Cristiano Burlan, pelo filme Elegia de um crime
– Melhor ator: Guilherme Magnata, pelo filme Organismo
– Melhor Atriz: Bianca Joy Porte, pelo filme Organismo
– Melhor Som: Pablo Lopes, Chris Llemgrueber, Paulo Umbelino, Guga Rocha e Fernando Arroyo, pelo filme Organismo
– Melhor Trilha Sonora: Amores de chumbo
– Melhor Direção de Arte: Séphora Silva, pelo filme Amores de chumbo
– Melhor Produção: Carol Ferreira, Luiz Barbosa e Mannu Costa, do filme Em nome da América
– Melhor Roteiro: Tuca Siqueira, pelo filme Amores de chumbo
– Melhor Montagem: Caioz e João Maria, pelo filme Em nome da América
– Melhor Fotografia: Beto Martins, pelo filme Amores de chumbo
– Melhor Direção: Tuca Siqueira, pelo filme Amores de chumbo
– Menção Honrosa: Elegia de Um Crime, de Cristiano Burlan

PREMIAÇÃO DO JURI POPULAR
– Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva dos Sertões: Uma balada para Rocky Lane, de Djalma Galindo
– Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva Pernambucana: Entre Pernas, de Ayla de Oliveira
– Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva Infanto-Juvenil: A Formidável Fabriqueta de Sonhos Menina Betina, de Tiago Ribeiro
– Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva Nacional: Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento
– Melhor Longa Metragem da Mostra Competitiva Nacional: Organismo, de Jeorge Pereira

TROFÉU CINECLUBISTA DE MELHOR FILME PARA REFLEXÃO
11 Minutos, de Hilda Lopes Pontes

Menções Honrosas:
Tempo Circular, de Graciela Guarani
Arara: Um filme sobre um Filme Sobrevivente, de Lipe Canêdo
Nome de Batismo – Alice, de Tila Chitunda
Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento

PRÊMIO ABD-PE/APECI
11 Minutos, de Hilda Lopes Pontes
Menções Honrosas:
Òpára de Òsun: quando tudo nasce, de Pâmela Peregrino
Maria, de Elen Linth e Riane Nascimento

Sem mais artigos