feist-3.jpg

FEIST
The Reminder
[Cherry Tree, 2007]

feist-cd-3.jpgFeist é a artista mais bem relacionada do indie-rock. Contra panelinhas, não delimitou sua influência a qualquer estilo ou cena. De fato, foi beneficiada pela boa safra de bandas canadenses, mas tem ouvidos em todos os lugares. Seu novo disco, The Reminder continua sua aposta no lo-fi sofisticado, delicado e bem construído. Esperta, Feist fez um passeio por vários estilos neste disco. A produção de sua música é tão eficaz que sua voz rouca combina com tudo. Quando “My Moon My Man” começa, temos a impressão de um retorno ao disco oitentista, brega. Mas ela não conseguiria nem se quisesse.

Musa de indies e respeitada por roqueiros afins, decidiu se divertir neste novo disco. Seus clipes mostram que não deseja ser lembrada como a vocalista meiga do Broken Social Scene. A Já citada “My Moon, My Man” tem clipe recheado de coreografias e “1,2,3,4” tem um dos clipes mais divertidos do ano, abusando do cetim brilhoso e dos passos de dança. Quando decide fazer o que sabe melhor, doces melodias que lhe valeram comparações com Jane Birkin, ela também acerta, como na faixa de abertura “So Sorry”. Ou a doce e emocionada “The Limit to Your Love”, onde abusa do seu apuro vocal.

Poucos têm a versatilidade de Feist, e poucos conseguem tantos êxitos nos projetos que participam. Bem, ela soube fazer isso bem, e seu disco é um belo exemplo do pop perfeito, criativo, original, e principal, desce redondo. [Paulo Floro]

NOTA: 9,0

Sem mais artigos