Divulgação.

Divulgação.

Emicida lançou o clipe de “Boa Esperança”, faixa do seu aguardado novo disco que será lançado no final deste mês. Dirigido por Katia Lund e João Wainer, a superprodução escancara o preconceito racial que existe hoje na classe média brasileira. “Favela não é senzala não / Bomba relógio prestes a estourar”.

O clipe mostra o racismo que existe no cotidiano das famílias ricas, daquelas que obrigam empregadas a usar uniforme. É mostrado as humilhações sofridas pelos trabalhadores pobres que trabalham nessas casas nos dias atuais. Mas Emicida também nos dá uma catarse – e mostra uma vingança empreendida por todos os subjugados, que se rebelam.

O próprio Emicida aparece no clipe no papel de um porteiro de um alto condomínio de luxo. O vídeo tem cenas bem fortes e reacende a velha discussão das relações entre patrões e empregados no Brasil, bem discutido em filmes como Doméstica, de Gabriel Mascaro e Som ao Redor, de Kléber Mendonça Filho. “Você diz que nosso pau é grande / espera só até ver o nosso ódio”. Vai vir pedrada na cara nesse novo disco de Emicida”. Baixe “Boa Esperança”.

A questão racial também é discutido no lindo clipe de Kendrick Lamar, “Alright”, lançado nesta semana.

Sem mais artigos