A noite dessa segunda (7) ficou marcada pela projeção de cinema que aconteceu na fachada do edifício Trianon, na Avenida Guararapes, centrão do Recife. Parte do Janela Internacional de Cinema do Recife, que este ano tem a proposta de discutir o espaço urbano do Recife, a intervenção chamou a atenção de muita, e não apenas os cinéfilos que acompanham o evento desde a última sexta. Com a cidade mais acesa, era impossível ficar indiferente ao que acontecia do outro lado da margem do Rio Capibaribe.

A projeção saiu do prédio Duarte Coelho, onde se encontra o cinema São Luiz, atravessou o rio e chegou até o Trianon. Os responsáveis pelo vídeo exibido foram a arquiteta Cristina Gouvêa e o montador André Antônio. Uma série de imagens de ruas conhecidas do centro da cidade, como Concórdia e Aurora eram mostradas na “super tela”. Com duração de 20 minutos, o vídeo foi repetido durante duas horas.

O melhor ponto para se ver a projeção era o café MediaLuna, que funciona durante todo o festival no primeiro andar do São Luiz. Aproveitamos aqui para falar do café, uma das melhores coisas da edição deste ano. Vende tapiocas de queijo e coco (as únicas “patrimônios imateriais”, segundo a vendedora ao receber pedido de outros sabores), sanduíches de carpacho, doces e refrigerantes. Além de uma lojinha de presentes com a marca do janela e produções locais. Um apelo que esse espaço funcionasse o tempo inteiro, e não só durante o festival. Mas, talvez seja pedir muito. O São Luiz continuar funcionando decentemente já é muito.

Fotos: Victor Jucá / Divulgação

Sem mais artigos