Tilda Swinton em entrega total no papel de mãe que perdeu a família

Por Daniel Herculano

Uma família feliz. Pai, mãe e um casal de filhos. Será? O drama da mãe que perdeu a família num ato inexplicável é apresentado com uma narrativa entrecortada. Suas idas e vindas nos fatos cristalizam a carga dramática de potência inimaginável. Na história, a cor vermelha é jogada na tela em forma de coisas e nuances (como as latas de tomate no supermercado, entre outros), da dor impregnada como tinta a cada momento, dando o tom do perigo. Sua protagonista Tilda Swinton, não merecia a indicação, e sim vencer o Oscar, por sua estupenda entrega e atuação como a mãe golpeada pelo destino. Um drama denso, pesado, mas gratificante ao extremo. Anote na categoria de prioridade.

PRECISAMOS FALAR SOBRE O KEVIN
Lynne Ramsay
[We Need To Talk About the Kevin, EUA, 2011, R$ 109,90]
Paris Filmes

Nota: 9,0

Filme com Lázaro Ramos ganha segunda chance no home-vídeo

O que aconteceria com um possível cruzamento das histórias de Alice País das Maravilhas, Depois de Horas e Corra Lola Corra tendo como cenário a louca noite São Paulo? A resposta em forma de película está aqui. E prepare-se, pois a noite de Walter (Lázaro Ramos), um médico anestesista, pai de família e que não sabe dizer não, será estranha, tensa. E muito divertida. Parte do insucesso do longa nos cinemas se deu ao fato de ter um péssimo trailer, sem nenhum tipo de atrativo. Agora disponível nas locadoras, vale a espiada. Veja o filme e tente se imaginar na pele do coitado do Walter, que tem de no meio de um plantão médico atravessar a cidade de São Paulo (e seus loucos) para pegar um bolo do aniversário de sua filha. Mas com uma vantagem: você está se divertindo! A comédia de situações amalucadas não deixa que nos esqueçamos da máxima que diz “o que está ruim, ainda pode piorar.” [Daniel Herculano]

AMANHÃ NUNCA MAIS (DVD)
Tadeu Jungle
[Idem, Brasil, 2011, R$ 34,90]
Fox Filmes

Nota: 7,0

Dominic Cooper em difícil missão

Sempre visto como um alvo fácil por sua postura e mau comportamento comum, Uday, primogênito filho de Saddam Hussein, faz uma proposta para o amigo de infância Latif Yahia: que ele seja seu dublê em aparições públicas. Após a resposta negativa, Uday seqüestra Latif e o faz aceitar a difícil missão e o faz passar por cirurgias plásticas para ficar ainda mais parecido com ele. Assim, Latif se torna O Dublê do Diabo. Baseado na história real e adaptado por Michael Thomas do livro de mesmo nome. O resultado é bem interessante. Em papel duplo, Dominic Cooper faz um acuado Yahia e um lunático Uday, com a vantagem de poder brincar com o overacting sem soar demais. Uday é completamente louco, tarado, drogado, exagerado mesmo. E seu mundo era cheio de dinheiro, mulheres fáceis (ou não), super carros e muita violência (orgias, tiroteios em boate, assassinato). E a grande questão é saber como Yahia sairá dessa. Inédito nos cinemas, já disponível em DVD e Bluray. [DH]

O DUBLÊ DO DIABO
Lee Tamahori
[The Devil´s Double, BEL, 2011, R$ 89,90]
California Filmes

Nota: 8,0

Mais holofotes para Anderson Silva

Documentário sobre a preparação do Campeão Mundial do UFC Anderson Silva quando foi defender o cinturão contra o americano Chael Sonnen. Ao ofecer uma perspectiva pró Anderson, mas completamente humana e brutal, dos treinamentos aos depoimentos sobre sua origem até a sua formação como ser humano. Momento curisoso: sua relação de mestre e pupilo com Steven Seagel e as entrevistas de divulgação do show. Disponível em DVD e Bluray California Filmes. [DH]

ANDERSON SILVA: COMO ÁGUA
Pablo Croce
[Like Water, 2012, R$ 52,90]
California Filmes

Nota: 7,4

Os bastidores do poder com Ryan Gosling e George Clooney

Drama político que nos dá uma visão por dentro de uma campanha e todos os seus meandros. As dúvidas com as possíveis alianças (necessárias ou não); as estratégias de comunicação para, independente da natureza da notícia, sempre ganhar com a divulgação; o duelo entre a inteligência X coragem e qual caminho escolher. Mas acima de tudo em investir na lealdade e na luta de se acreditar no que se constrói. Tudo Pelo Poder é um olhar meticuloso de como fazer (ou não) uma estratégia de comunicação no meio da política, o dom de plantar ou aprimorar as notícias e de trabalhar nos bastidores do poder e seus acordos. Ao final a questão não é a política ou a comunicação, mas em acreditar no que se constrói para chegar ao poder, seja ele certo ou errado. Será a construção da descrença ou a desconstrução da crença? [DH]

TUDO PELO PODER
George Clooney
[The Ides of March, 2011, R$ 118]
California Filmes

Nota: 9,0

_
Daniel Herculano assina a coluna Script n´O Povo On Line/Jornal O Povo e é titular do programete #Cineminha na Beach Park FM 101.7. Crítico de cinema formado em cursos de Ana Maria Bahiana (Uol/Globo de Ouro), Pablo Villaça (Cinema em Cena/OFCS), Ruy Gardnier (O Globo/Contracampo) e Joaquim Assis (Roteirista). É graduado em Comunicação Social e assessor de comunicação d´ A+ Business Criativo.

Sem mais artigos