DNTEL
Dumb Luck
[Sub Pop, 2007]

A premissa mais óbvia de discos como Dumb Luck, nova produção do DNTEL, reside sob as experimentações. O disco esconde tanta sensibilidade e delicadeza que exige do ouvinte boa dose de paciência.

James Tamborello é um artista de música eletrônica e faz, segundo o próprio, downtempo misturado com punk-rock. A crítica o enquadra em IDM, a intelligence dance music. Com um bom time de vocal feminino, este projeto Dntel poderia se caracterizar como uma ótima idéia se botasse um freio no pedantismo e pretensão que marca quase todas as faixas.

Com o nome James Figurine, Tamborello faz parte do grupo de rock Figurines, bem mais pop (e divertido) que este Dntel. Mas este parece ser a grande paixão do artista californiano. O disco de 2001, Life is Full Of Possibilities era recheado de participações, entre elas Death Cab For Cutie, Mia Doi Todd e foi bem recebido pela crítica. Entre seus outros trabalhos além do Figurine, o Postal Service, o Strictly Ballroom e Headset, nenhum recebe tanta atenção quanto Dntel.

Dumb Luck é um amontoado de pequenas idéias que não chegam a lugar nenhum. Na maioria das músicas, uma base irritante quase grita para que o ouvinte aperte o stop. Se o intuito do disco for provocar, consegue. Intrigante é saber o que Tamborine esperava ao fazer algo tão indigesto.

NOTA: 2,0

Sem mais artigos