DEADBOY AND ELEPHANTMEN
We Are Night Sky
[2006, Fat Possum]

O Deadboy and Elephantmen tinha tudo para ser um hit certeiro. A mulher é a baterista (Tessie Brunet). O nome da banda é esdrúxulo. Mas nada salva um disco modorrento. Cem por cento das principais resenhas para We Are Night Sky compara a banda aos White Stripes. Mas vamos entender. O WS, de Detroit tem uma baterista que não sabe tocar, mas também nem precisa. Jack White supera qualquer carência da bateria primal de Meg com canções vintage do blues, jazz e de grandes artistas dos anos 1970. Brunet até manda bem nas baterias, mas o disco se arrasta ate a faixa oito, “Kissed By Lightning”, que poderia estar num disco do Death Above 1979.

Som com muito peso, com vocal abafado e pegada dançante. A banda poderia ter seguido esse estilo. Não ia surpreender ninguém, mas ao menos não precisava ter arriscado – logo no disco de estréia – colocar sete faixas lentas e chapadas no início do disco. Vai ver Dax Riggs, o frontman, se achou um REM em Chronic Town ou Murmur. Pra não dar viagem perdida, escute “Blood Music” ou “Misedventures of Dope” que é puro Sonic Youth em Evol.

Mas a comparação tem alguns metros de distância. [Paulo Floro]

NOTA:: 5,0

Sem mais artigos