O geógrafo marxista David Harvey retornou ao Brasil na semana passada para participar de conferências gratuitas nas cidades de Brasília, Recife, Fortaleza, Curitiba e São Paulo. Os eventos marcam o lançamento de seu novo livro, Para entender O Capital: Livros II e III, um guia de leitura – para iniciantes e iniciados – da obra máxima de Karl Marx. O livro chegará às livrarias junto com a aguardada edição da Boitempo do segundo volume de O Capital, versão definitiva do clássico de Marx. Um dos encontros mais relevantes de Harvey nesta sua vinda foi sua ida ao OcupeEstelita, no Cais José Estelita do Recife.

Leia Mais
O antes e depois do acampamento do Ocupe
A iconografia do OcupeEstelita

Veja o filme: Recife, cidade roubada

Um dos marxistas mais influentes da atualidade, Harvey é conhecido internacionalmente por seu trabalho de vanguarda na análise geográfica das dinâmicas do capital. É professor de antropologia da pós-graduação da Universidade da Cidade de Nova York onde leciona desde 2001. Ele foi voz atuante nos movimentos anti-capitalistas do Occupy, como o que aconteceu em Wall Street, nos EUA. Por isso foi bastante representativo sua participação no OcupeEstelita, uma articulação sem precedentes no Recife que pede uma maior discussão do espaço urbano da cidade longe da ótica do mercado e da especulação imobiliária. O maior símbolo é a luta pela não destruição do Cais José Estelita para construção de torres de até 38 andares.

“Eu escrevo sobre o direito à cidade e vocês o praticam. Isto é o mais importante”, disse Harvey durante sua fala no último OcupeEstelita. “As únicas pessoas que vão defender o seu direito a esta cidade são vocês”.

Grupo fez um abraço simbólico no Cais. (Foto: Ythallo Barreto/Ocupe Estelita).

“Algo não vai bem no Recife”: Grupo fez um abraço simbólico no Cais. (Foto: Ytallo Barreto/Ocupe Estelita).

Sem mais artigos