DEFINA INFLUÊNCIA
O blog Das Bancas faz lista passional das revistas mais influentes do País
Por Thiago Muniz, Greg e Leandro, especial para O Grito!

O dasBancas adora uma lista, não fizemos tantas quanto gostaríamos, mas sempre que uma cai na mão, corremos para ler. E por isso, fazer a nossa lista das 10 (que como em toda lista do dasBancas tem um empate, por isso são 11) revistas mais influentes do Brasil foi um prazer e ao mesmo tempo um sofrimento. 10 é pouco!

Esta lista é das menos ortodoxas, não ficamos presos ao PODER mercadológico das revistas, levamos a coisa para um nível mais sentimental, tendencioso e bairrista. Por isso, o que propomos é que, quando terminarem a leitura, entrem aqui e façam sua lista com as 10+, e depois vemos o que é recorrente e claro, ampliamos a discussão.

Então, chega de papo furado, vamos começar a lista:



10
G MAGAZINE

[Fractal Editora, Mensal]
Ok, concordo, a G não é uma revista comentadíssima, nem tão pouco influencia a sociedade, mas é inegável que foi o primeiro produto completamente gay que caiu na boca do povo, foi comentado do bazar beneficente da igreja ao botequim da esquina, passando pela sauna ameega. No boom da revista, era comum ver artistas e jogadores de futebol sendo questionados se posariam nus, e isso era aguardado pelas pessoas, todos queriam ver o astro no Gugu ou no Em Nome do Amor, seria uma oportunidade de espiar uma foto ou outra, sem precisar dar a cara na banca (ah, como era romântico o mundo sem a pirataria da Internet, até ver um homem pelado era complicado). A G, bem ou mal, abriu espaço para outras revistas do gênero, como a finada Íntima, e deixou uma brecha para revistas gays pensantes, como a DOM e JUNIOR se propõem. Hoje a G não passa nem perto do que já foi, e está mais parecida com seu início, nos tempos em que se chamava Bananaloca, mas observando o mercado, fica a dúvida, essas outras revistas gays sobreviverão? A G, com certeza, se manterá, e por isso merece o décimo lugar nessa lista.



09
CAPRICHO

[Abril, quinzenal]
A garota que não lia Capricho que envie o primeiro spam. Gravidez na adolescência e o novo galã da Malhação têm o mesmo peso na equação da Capricho, mas não faça pouco caso desta revista. Por ela, passaram algumas das mais importantes modelos brasileiras; foram, e são, discutidos temas de grande importância social, como a futura carreira profissional, a maquiagem que combina com o vestido comprado ontem, o uso de camisinha e pílula anticoncepcional, a nova do NXZero e se o carinha quer namorar ou só transar. Muitos hormônios, pouca profundidade e uma luz no fim do túnel. Taí a Capricho, a nona colocada. Ah, alguém descola um teste pra gente? Desde a 8ª série que não faço nenhum…



08
NOVA

[Abril, mensal]
Não sei definir o que seria das mulheres brasileiras sem a Nova. Talvez, menos preocupadas com invencionices sexuais ou com o formato do pênis do parceiro. Também poderia formar uma geração menos sexual, mais intelectual, informada e comprometida com o futuro da nação, lembrando que o futuro da nação não é obrigatoriamente relacionado à procriação, nem tão pouco com o membro masculino. Ah, sério, sem a Nova, o Brasil de muitas mulheres seria muito mais sem graça. Não poderíamos rir das inúmeras dicas sexuais (além de testá-las, claro) e capas esdrúxulas (com o famoso cabelão Marco Antônio de Biaggi), não saberíamos sobre a diversidade anatômica – masculina e feminina – e falaríamos muito menos sobre sexo, e falar de sexo é fundamental. Tanto quanto fazê-lo! A mulher que não leu sua primeira Nova, não sabe o quanto está perdendo, corra para a banca e garanta a nossa oitava posição.

07
VOGUE

[Carta Editorial, mensal]
Nem vem com o papo de que não sabe nada de moda, não se interessa e blá blá blá. O que interessa, neste caso, é que quem sabe, faz e se importa com moda, sabe que essas páginas são comparadas com as da Bíblia, claro que a versão brasileira seria uma versão mais pobre que as demais… Pouco importa se a Vogue é a mais vazia (tá, mais visual…) das revistas de moda brasileira, o que de fato vale é a marca. E isso a Vogue tem de sobra… E disso, você sabe!

06
SUPERINTERESSANTE

[Abril, mensal]
A Super formou várias gerações… Meu irmão mais velho ganhou a assinatura de presente, e todos lá em casa líamos, do meu pai a mim, que sou o mais novo. Meus priminhos também ganharam assinaturas da Super, a coisa parece não ter fim, a revista não perde o fôlego, e só por isso já merecia uma vaga na lista. Sem ela não teríamos tantos projetos de nerd e tantos preguiçosos bem informados (eu sempre preferi ler a Superinteressante a fazer educação física, que culpa tinha de poder trocar a quadra pela biblioteca?). Obrigado Editora Abril, sem a Super, não teríamos tantos infográficos bacanas, tanta curiosidade sendo compartilhada e tanta mãe imaginando que seu filho pode ser o novo Albert Einstein. Obrigado Superinteressante, nós agradecemos sua existência e lhe damos o sexto lugar!

05
PLAYBOY

[Abril, mensal]
Você não sabe quem é a pelada do mês? Tenho certeza que sua avó ouviu falar no programa da Sônia Abrão, e sua amiga leu no Ego. Entra ano e sai ano é a mesma coisa: a Playboy apresenta uma, ou duas, grande estrela sem roupa, algumas anônimas, um monstro (ou a fruta cheia de sementes, conhecida por Melancia é o que?) e não some da mídia. Sites, revistas, programas de TV, todos discutem a pelada da vez, alguns meses mais, outros menos, mas tá sempre lá, e claro, ser capa da Playboy é sinônimo de reconhecimento e valorização do passe para muitas estrelas… Além disso, o que também não muda é sua excelência editorial, a tradicional entrevista, e claro, a menção, TODO domingo, no programa do Faustão, que é igual a Playboy: tem sempre uma pelada no meio… Outro fato que o Faustão pode usar, a Playboy é a quinta colocada na nossa lista, e ele apresenta um programa de quinta…

04
PIAUÍ E CAROS AMIGOS

[Alvanegra e Casa Amarela, mensais]
Se você não é cult o suficiente, não usa óculos de armação preta e não está com algum item xadrez em sua roupa, pode passar para o próximo tópico, com certeza não entederá o que estas revistas fazem aqui, empatadas, em quarto lugar.

03
CARTA CAPITAL

[Carta Editorial, semanal]
Se você exerce alguma influência no Brasil, sua declaração estará nesta revista. Por isso, ela merece o bronze nessa disputa.

02
CARAS

[Editora Caras, semanal]
Se você exerce alguma influência no Brasil, sua bundamansãonovoamor estará nesta revista. Por isso, ela merece a prata, sonhando com muito ouro, nessa disputa.



01
VEJA

[Abril, semanal]
Se você não exerce qualquer influência no Brasil, mas quer exercê-la sobre seus amigos menos providos de inteligência, saque esta lista numa conversa de boteco, faça cara de sério e muito bem informado, e com peito inflado diga: EU LI ISSO NA VEJA. Você vai direto para o topo da lista, medalha banhada de ouro, claro, porquê quando analisado de perto, entendemos que nem tudo que reluz, é ouro!

O blog DasBancas, atualizado por Thiago, Greg e o Leandro, traz diariamente notícias e análises do mercado editorial brasileiro e internacional.

Sem mais artigos