Os  boatos, enfim, acabaram. Darren Aronofsky, diretor de PiRéquiem para um sonho,  irá assinar a continuação de Robocop, clássico cult dos anos 80 de Paul Verhoeven. O cineasta vai trabalhar em parceria com o roteirista David Self (Estrada para perdição). Não se sabe ainda se a nova produção será uma refilmagem, mas a hipótese mais provável é de que a franquia do homem-robô seja trazida para os dias de hoje, com muitos efeitos especiais em 3-D e aura de super-herói.

Se depender da escolha do diretor, o novo Robocop deve ressuscitar sombrio e ainda mais temível. Aronofsky, em seus filmes, é esquadrinhado pela sua estética lisérgica sobre alienação, drogas e sexo. Um estilo polêmico que deve promete dar um novo sopro ao policial do futuro. Lançado em 1987, o primeiro Robocop causou choque nos espectadores e na crítica pelas cenas de ultra-violência e uma nova linguagem de ficção científica.

A MGM promete relançar Robocop em 2010.

Sem mais artigos