Com apenas 25 anos de idade e apenas dois filmes na bagagem, Tião já ostenta um troféu de Cannes na estante. Seu curta-metragem Muro venceu o prêmio Regard Neuf (Novo olhar), da Quinzena de Realizadores, mostra paralela do Festival de Cannes, concedido a novos realizadores como uma “promessa” para o audiovisual. O resultado foi divulgado ontem à noite, durante a cerimônia de encerramento.

Instituída este ano, Regard Neuf é a única honraria da Quinzena dedicada a cineastas estrangeiros. O filme pernambucano é, portanto, o único representante não-europeu a ganhar a láurea nesta edição.

Também venceram o curta franco-belga Eldorado, de Bouli Lannes, que saiu com dois prêmios, o Label Europa Cinemas (para o melhor filme europeu da Quinzena) e o Regard Jeunes (para jovem cinéfilos); o francês Les bureaux de Dieu, de Claire Simon, com o prêmio da Sociedade dos Autores e Escritores Dramáticos de melhor filme francês; e o eslovaco Blind loves, de Juraj Lehotsky, que levou o prêmio da sociedade la Cicae, composta por um júri internacional de produtores do cinema independente mundial.

Muro, curta-metragem de 16 minutos e ambientado no sertão nordestino, é o segundo filme deTião e o seu primeiro trabalho sólo atrás das câmeras. Ele estreou com o curta-metragem Eisenstein, em uma direção tripla com Leonardo Lacca (Décimo Segundo) e Raul Luna (colunista d’O Grito!).

Filmado em CinemaScope, o trabalho foi gravado na comunidade da Vila de Conceição de Cima, distrito de Serra Talhada (Pernambuco). O elenco é encabeçado pelo ator José Humberto, de Serra Talhada, e pela atriz recifense Inaê Veríssimo, além de moradores da comunidade como figurantes.

Sem mais artigos