Antes do Sol Nascer, curta metragem de ficção dirigido por Daniel Ortega, do coletivo pernambucano LA Sangre Mamute Produções, vem fazendo o circuito de festivais falando sobre homofobia. O filme será exibido na Mostra Competitiva Diversidade do II Festival de Cinema do Paranoá, em Brasília, neste sábado (28).

O filme conta a história de Henrique (Danilo Castro) e Silva (Fernando Martins), que são amigos de infância e compartilham o interesse por esportes e pela vida noturna. Numa rotineira ida a um bar da cidade os dois deparam-se com Sarah (Ariel Pimenta), uma transexual.

A princípio, a sexualidade de Sarah não é percebida por Henrique, que se mostra interessado nela. Os três, então, decidem ir ao lago para continuar a noite. Silva resolve descer ao lago para aproveitar a paisagem, enquanto Henrique e Sarah permanecem no carro, trocando carícias. Quando Henrique percebe que Sarah é uma transexual, ele a mata violentamente.

Assim, o filme chega para refletir sobre discursos de ódio e preconceitos. É importante ressaltar que, segundo relatório divulgado em 2014 pelo Grupo Gay da Bahia, uma morte LGBT acontece a cada 28 horas motivada por homofobia. O Brasil continua sendo o campeão mundial de crimes homo- transfóbicos: segundo agências internacionais, 40% dos assassinatos de transexuais e travestis no ano passado foram cometidos no Brasil, diz o relatório.

O filme é uma produção independente realizado pela Magma Produções (Brasília), em coprodução com o LA Sangre Mamute Produções, coletivo de artistas independentes, além da Cia Teatro dos Ventos.

Sem mais artigos