Visto pelos críticos como uma tiro quase certeiro para as previsões do Oscar, o Critics Choice Awards, prêmio dado aos melhores da sétima arte, possui um grande histórico de acertos. Nos últimos 12 anos, metade dos ganhadores de seus troféus de atuação, melhor filme e 75% dos premiados como melhores diretores receberam um ou mais de um prêmio da academia americana.

Onde os Fracos Não Têm Vez, de Ethan Coen e Joel Coen, deixa para trás os favoritos ao ser considerado o melhor filme pelo Critics Choice Awards na última segunda-feira. Baseado no livro de Cormac McCarthy, o filme conta a história de um caçador que pega uma valise cheia de dinheiro após encontrá-la com um traficante de drogas abandonado no deserto. Para recuperar o dinheiro, é enviado um assassino psicótico.

Mostrando que recuperou a forma do sucesso, Ratatouille, da Disney, também foi premiado como melhor longa-metragem animado, e Encantada, o melhor filme para o público familiar. Em outras categorias, o drama francês O Escafandro e a Borboleta foi premiado como melhor filme em língua estrangeira, S.O.S. Saúde (Sicko), de Michael Moore, como melhor documentário.

O Critics Choice é organizado pela Associação dos Críticos de Cinema e reúne mais de 200 críticos de cinema da televisão, rádio e Internet nos EUA e Canadá O evento é transmitido pelo canal a cabo VH1. Qualquer semelhança com o Troféu Imprensa anual do Sílvio Santos é mera coicidência…

Sem mais artigos