Cantor americano de ascendência jamaicana apresenta trabalho que mescla r&b, synthpop, rap e e outros gêneros

Crítica: Yuno e a versatilidade indie-pop
NOTA8

Yuno é um daqueles artistas que começam a fazer experimentos no quarto de sua casa e a divulgá-los na internet. O cantor norte-americano de ascendência jamaicana começou a ganhar uma boa visibilidade no cenário alternativo com seu indie-pop versátil. Após oito anos lançando alguns singles, pequenos fragmentos do que iria mostrar futuramente, o cantor apresentou neste ano o seu EP de estreia, Moodie.

No pequeno registro, composto por seis faixas, Yuno traz um indie-pop recheado com boas doses de r&b, synthpop, rap e entre outros gêneros. Um verdadeiro cardápio de canções que, embora possuam a mesma essência pop, surpreendem por trazerem elementos que as diferenciam uma das outras.

As faixas de abertura do EP, “Amber” e “No Going Back”, são conduzidas pelo protagonismo do sintetizador nos arranjos, que se destaca em relação aos outros instrumentos, ruídos e sons que ficam em plano de fundo. Na primeira, o norte-americano opta por um arranjo sintético mais robusto, enquanto na segunda ele se permite criar algo mais melódico para acompanhar os versos sobre o desgaste de um relacionamento amoroso.

Yuno também abre espaço para dar destaca há outros elementos, como no caso de “Why For”, na qual as guitarras dominam os pouco mais de quatro minutos e meio da canção. Ainda, o cantor traz um timbre diferente. Seus vocais parecem soar levemente rasgados, criando uma nostalgia em relação ao que era produzido por bandas de pop/rock da metade dos anos 2000 e que começaram a flertar com a música eletrônica.

Além disso, o cantor mostra-se hábil em criar atmosferas mais densas e quase oníricas, “Fall In Love” e “Galapagos” são uns desses experimentos. Os sintetizadores cedem o papel de protagonistas para criar algo mais climático, deixando que os vocais letárgicos de Yuno conduzam as canções, algo que se aproxima de gêneros como o Dream Pop. Com uma variedade de referências e flertando com diversos gêneros, mas, claro, sem deixar a carga pop de suas canções de lado, Yuno faz uma boa estreia marcada por uma versatilidade nas composições. Moodie é um EP em que o ouvinte pode escutá-lo repetidas vezes sem o medo de apreciar um registro de canções pop previsíveis.

YUNO
Moodie (EP)
[Sub Pop, 2018]

Sem mais artigos