DUPLA DINÂMICA
Filme amplia em tela grande talento dos comediantes Tina Fey e Steve Carell

Por André Azenha
Colaboração para a Revista O Grito!, em São Paulo

Casal, para quebrar a rotina, decide ter uma noite diferente e se depara com uma série de enrascadas. A premissa, utilizada tantas vezes no cinema, poderia render um filme insosso, com gosto de déjà vu. Isso se não contasse com Steve Carell e Tina Fey nos papéis principais.

Estrelas de duas séries televisivas de sucesso (respectivamente The Office e 30 Rock, esssa última também escrita por Tina), os dois eventualmente também atuam no cinema. Carell, por sinal, já teve interpretações bastante elogiadas, como a pequena aparição em Todo Poderoso, a interpretação de um gay suicida em Pequena Miss Sunshine e os divertidíssimos papéis principais em O Virgem de 40 Anos e Agente 86.

Demorou, mas enfim sacaram que a reunião deles poderia render uma boa comédia na tela grande.

Escrito por Joshua Klausner, dos terceiro e quarto filmes do Shrek, e dirigido por um especialista em comédias, Shawn Levy (Uma Noite no Museu 1 e 2, A Pantera Cor de Rosa), Uma Noite Fora de Série inicia como um retrato dos casamentos decadentes: Steve Carell e Tina Fey formam um casal de Nova Jersey, trabalham o dia inteiro, têm dois filhos, eventualmente se reúnem com vizinhos para atividades nada empolgantes, e quando chega a noite, já não têm pique para nem uma rapidinha.

É para salvar o matrimônio que certo dia decidem sair para jantar num restaurante descolado de Nova York, onde é dificílimo conseguir mesa. Para não perder a noite, faturam os lugares de outro par que sumiu do local. É quando estão escolhendo o que vão comer que dois caras mal encarados os confumdem com o casal que havia reservado a mesa, os fazem sair do restaurante, ameaçando-os e exigindo a entrega de um pen drive. Daí em diante a trama toma um ritmo desenfreado de perseguições, bastante ação, investigação e muitos momentos engraçados.

Apesar de não ser uma obra-prima, Uma Noite Fora de Série tem seus momentos e cumpre seu dever com louvor. Tem roteiro certeiro, que sabe dosar ação e comédia, e que tem no elenco um parceiro fundamental para causar tantas risadas no espectador.

Desde Mark Ruffalo como o vizinho que está se divorciando; Ray Liotta (não creditado na ficha técnica divulgada para a imprensa) na pele de um mafioso; William Fichtner (Batman – O Cavaleiro das Trevas) como um político pervertido; J.B. Smoove encarnando um taxista histérico; e Taraji P. Henson interpretando a policial que suspeita de dois colegas e decide investigar toda a situação. Apenas James Franco soa deslocado e sem graça no meio de tanta gente boa.

Mas são Carrel e Tina Fey que dão um show. Ambos são comediantes na acepção da palavra, talentosos, demonstram grande química em cena e fazem o longa valer cada centavo. Uma dica: aguardem a cena em que eles fazem uma dança “sensual”. Numa época em que o gênero comédia rende longas como Cadê os Morgans? e Caçador de Recompensas, o filme de Shawn Levy resulta uma surpresa muito agradável.

O trailer, por sinal, engana. Geralmente quando o trailer de uma comédia faz a plateia rir bastante, tenha certeza que os produtores gastaram as melhores piadas do filme nele. O que não ocorre com Uma Noite Fora de Série. Se o trailer deste não o empolgou muito, pode ter certeza que o longa completo o empolgará.

PS: Durante os créditos finais são exibidos os tradicionais erros de gravação.

UMA NOITE FORA DE SÉRIE
Shawn Levy
[Date Night, EUA , 2010]

NOTA: 8,0

Sem mais artigos