COTIDIANO EM XEQUE
Coletânea de crônicas de Flávia de Gusmão é roteiro engraçadíssimo de como a sociedade do início deste século vivencia seus afetos, desejos e medos

Por Alexandre Figueirôa
Da Revista O Grito!

Falar de sexo e de relações afetivas requer uma boa dose de humor. Caso contrário vira correio sentimental, manual de auto-ajuda ou artigo de Lya Luft. Por isso aconselho aos que gostam de preservar sua verve irônica afiada e o espírito crítico a lerem Sexo@cidade, uma coletânea com 101 crônicas selecionadas da coluna de mesmo nome publicada, desde dezembro de 2000, no Jornal do Commercio, pela jornalista Flávia de Gusmão.

O livro lançado recentemente numa primorosa edição da Caleidoscópio pode ser lido como um roteiro engraçadíssimo de como nestes primeiros anos do século 21 homens, mulheres e outros gêneros estão se comportando diante da incontornável necessidade de encontrar alguém para compartilhar amassos, carícias, beijos, fluidos, e outras coisitas mais. O melhor, porém, ao ler o conjunto de textos escritos por Flávia de Gusmão ao longo dos últimos doze anos é descobrir que, se as questões de ordem sexual guiam as suas crônicas, a autora, na verdade, faz um curioso mapeamento de como a sociedade contemporânea vivencia os seus afetos, os seus desejos, seus traumas e seus medos.

Com uma linguagem direta, moderna, de fácil leitura, mas sem abrir mão da inteligência e do cuidado com a redação, a autora com seu olhar aguçado e preciso nos revela um mundo dinâmico e repleto de significados que muitas vezes se escondem por trás das coisas mais banais e prosaicas de nosso cotidiano pequeno-burguês. Namoros, casamentos, “ficações”, separações, crises, DRs, idas aos bares, aos salões de beleza, às festinhas íntimas, swings, jantares, tudo é deslindado pelas palavras afiadíssimas de Flávia, cuja percepção de jornalista experiente e sagaz na arte de observar os fatos se mescla com seu senso aguçado de compreender o outro.

Seu humanismo nato faz com que mesmo dando estocadas nos machos alfas com suas camisas xadrez, ela os compreenda

Passeando pelas crônicas de Sexo@cidade vamos aos poucos perceber que Flávia ao falar de si e do mundo que a cerca não hesita em apontar os incômodos, as contradições e as neuroses que nos movem, mas também não faz pose de indiferente, ou de estar acima do bem e do mal, quando flagra sentimentos sinceros, rompantes de romantismo, e nossas fragilidades. Seu ponto de vista é obviamente feminino, mas seu humanismo nato faz com que mesmo dando estocadas nos machos alfas com suas camisas xadrez, ela os compreenda.

A leitura de Sexo@cidade não impõe limites de gênero ou idade. Embora tendo como base de referência a cidade do Recife, e por consequência algumas tiradas e situações bem particulares de nossa vida semiprovinciana, as crônicas de Flávia de Gusmão alcançam a universalidade. Elas estão em sintonia com o nosso tempo e com as novas maneiras de vivenciar a existência nestes tempos pós-modernos. Portanto, pegue uma taça de um bom vinho tinto, relaxe no sofá e dando boas risadas descubra que você não está só na cidade.

SEXO@CIDADE – 101 CRÔNICAS ESCOLHIDAS
Flávia de Gusmão
[Caleidoscópio, 228 págs, R$ 50]

Sem mais artigos