Novo do Rilo Kiley não inova em nada e só um pop agradável de ouvir

RILO KILEY
Under The Blacklight
[Warner Bros., 2007]

Formado em 1998, em Los Angeles, Estados Unidos, por Jenny Lewis (vocal, guitarra e teclados), Blake Sennett (guitarra e vocais), Pierre de Reeder (baixo) e Jason Boesel (bateria e percussão), o Rilo Kiley lança seu quarto disco. Under The Blacklight, precedido de Take Offs and Landings (2001), The Execution of All Things (2002) e More Adventurous (2004), é um album de dream pop e indie rock, permeado por baladas e canções suaves.

O som ameno do Rilo Kiley pode ser caracterizado como se fosse uma mistura de The Breeders, Pedro The Lion, Superchunk e Mercury Rev, além de se assemelhar com os bons momentos de The Shins, Death Cab For Cutie, Bright Eyes, Broken Social Scene e The Decemberists.

Com onze canções agradáveis de ouvir, Under The Blacklight não inova em nada, é apenas mais um bom álbum da banda norte-americana. Destaque para as palmas e para os riffs delicados de “Silver Lining”, para a letra recitada de “Close Call” entre as batidas da bateria, para os gritinhos de “The Moneymaker” e para as incursões eletrônicas de “Breakin’ Up” e “Give A Little Love”. A canção que empresta o nome ao álbum, “Under The Blacklight”, é uma balada gostosa de letra romântica. Já “Dreamworld” conta com o vocal do grupo todo e “Dejalo” apresenta um clima dançante. [Mariana Mandelli]
NOTA: 7,0

Sem mais artigos