Foto: Divulgação/Aleph.

Foto: Divulgação/Aleph.

HQ retrata convivência de sobreviventes de desastre climático
Obra é clássico cult sci-fi e chega às lojas em edição com as três partes da história

Por Caio Delcolli

Clássico cult da ficção científica, a graphic novel francesa O Perfuraneve (Le transperceneige, 1982) finalmente chega ao Brasil neste mês, pela Editora Aleph, com seus mil e um vagões e uma história angustiante e soturna.

Escrito por (1932-1990) e desenhado por , o quadrinho se passa em um período de tempo não definido – talvez no futuro –, e narra histórias que acontecem dentro do trem Perfuraneve. Sem destino, ele transporta o que resta da humanidade após um desastre climático desencadear uma nova era do gelo.

Leia Mais: Crítica de HQs
20 anos de Grump
Novas HQs olham para a formação do povo brasileiro
Autocracia mostra o lado trágico da obsessão pelos carros

Confinados no trem, a convivência entre os passageiros se torna cada vez mais tensa com o passar do tempo. Num inquietante reflexo às organizações de nossa realidade, pessoas do Perfuraneve se unem em entidade militar e culto religioso, por exemplo. Os vagões da frente são ocupados pelos mais ricos e, os de trás, pelos mais pobres. Ou melhor: miseráveis vivendo em condições sub-humanas, negligenciados.

De forma geral, os passageiros têm pavor da devastação fora da locomotiva. Chamam a neve de “morte branca”. A situação se torna insustentável quando os protagonistas descobrem que líderes do Perfuraneve planejam soltar os vagões traseiros para possibilitar a continuação da viagem. O trem já não tem o mesmo fôlego de outrora. A arte em preto e branco e repleta de texturas reforça a conjuntura.

O Perfuraneve foi originalmente publicado na legendária revista de quadrinhos franco-belga mensal À Suivre (1978-1997) e depois pela editora Casterman, a partir de 1984. É o traço europeu na década que revolucionou as histórias em quadrinhos. A grande sacada da Aleph está em condensar, numa única edição, toda trilogia. O Explorador (1999) e A Travessia (2000) são as outras duas histórias, escritas por após a morte de Lob. Há um generoso posfácio com esboços de artes e informações sobre o quadrinho e sobre o filme baseado nele, O Expresso do Amanhã (Snowpiercer), dirigido por Bong Joon-Ho e lançado em 2013.

perfuraO PERFURANEVE
De Jacques Lob (texto), Jean Marc-Rochette (arte) e Benjamin Legrand (texto)
[Editora Aleph, 280 páginas, R$ 59,90]
Tradutor: Daniel Lühmann

9,5

 

Veja trecho da HQ:

Divulgação/Aleph.

Divulgação/Aleph.

Divulgação/Aleph.

Divulgação/Aleph.

Sem mais artigos