Mesmo com a culpa católica, banda fez um bom disco (Foto: Divulgação)

EM BUSCA DO HYPE PERDIDO
Disco do Hot Chip pode até ser ausente de hits, mas mantém a linha cerebral do grupo que colocas as pistas para dançar sempre que toca Over And Over e Ready For The Floor

Por Fernando de Albuquerque
Editor da Revista O Grito!, em Recife

Todo mundo sempre disse que os álbuns do Hot Chip cantam a frivolidades e os agitos da vida noturna. E para isso basta lembrar dos hits que sempre permearam a noite das principais capitais brasileiras, quando o assunto era a mistura dessa banda com o “dancing” das boates. “Over And Over” e “Ready For The Floor” são verdadeiros clássicos para os que não dispensam uma boa dança e sempre estão antenados às novidades do pop, mas em seu novo trabalho intitulado One Life Stand, a banda londrina ressurge com uma boa culpa católica. O grupo pisou no freio, revisou conceitos e fez um disco repleto de comentários sobre amor e vida familiar. Essas temáticas, no entanto, não impedem o grupo de continuar criando faixas dançantes.

A eletrônica indie do quinteto (com ecos dos anos 1980) se mantém nas composições. A que dá título ao disco é, sem margem para dúvidas, a melhor músicas. E traz uma brincadeira com as ficadas de uma única noite (One Night Stand) já que o Hot Chip querem ficar para a vida inteira.

No total são 10 faixas e três delas com forte influência do Depeche Mode: “Hand Me Down Your Love”, “Take It In” e “Thieves in the Night”. Essa última repete à exaustão uma verité da noite: “alegria é tudo o que queremos”. Nas outras músicas, em alguns momentos, a melodia caminha devagar o que nos faz lembrar das músicas mais doces do New Order.

A mais emotiva de todas é “Brothers”. A música diz: “I would give my life for my brothers/ when we’re driving /and it’s late with my brother/ sat next to me”. Dá vontade de pegar o carro mais próximo e dirigir horas a fio. Já “Slush” é quase evangélica.

No mais parece que o grupo se sentiu meio culpado por colocar todos para dançar loucamente e decidiu que é melhor levar seu público para casa. Para amar os pais, os irmãos e os filhos. Fazer todo pararem um pouco de dançar para arrumar namoros com longa duração e sair com os amigos, apenas, para jantar.

HOT CHIP
One Life Stand
[Astralwerks/EMI, 2010]

NOTA: 8,0

Sem mais artigos