RASGANDO-SE
Com um lirismo mais maduro, Fiona Apple se mostra na vanguarda das vozes femininas do pop

Por Juliana Dias

[Recomendado]

O lançamento aconteceu com um clipe cheio de moluscos na cabeça. E então ela diz: “eu não tenho um plano”. Sete anos depois do último álbum, agora mais paciente com os diretores, simples e ao mesmo tempo forte, Fiona Apple faz o despretensioso (e delicioso) álbum The Idler Wheel.  Em um álbum tão bem integrado, o único ponto que não parece tão planejado é mesmo o título, sem reduções. Mal cabe em um tweet: The Idler Wheel Is Wiser than the Driver of the Screw and Whipping Cords Will Serve You More than Ropes Will Ever Do (A roda menos usada é mais sábia que a chave do parafuso e os chicotes te servirão mais que as cordas um dia farão).

The Idler Wheel… começa com “Every Single Night”, que ganha energia aos poucos. Quando menos esperamos, já está rasgando o vocal. Ela continua com a brincadeira de usar a voz como quer. “Daredevil”, igualmente forte, é acompanhada da doce “Valentine”, que canta “I root for you, I love you, you -you-you-you” (Eu torço por você, eu amo você, você…), sem perder a ironia de dizer “You didn’t see my valentine, I sent it via pantomime” (Você não viu meu presente do dia dos namorados, eu enviei via pantomina). Também encontramos muita sintonia de instrumentos e viradas inesperadas, como ouvimos em “Left Alone”, “Periphery” e a última, “Hot Knife”.

O álbum tem apenas 10 faixas e nos deixa com vontade de mais (a versão deluxe conta com mais músicas, de apresentações ao vivo). Mas, a verdade é que para espalhar tanta energia em cada música, a cantora tem mesmo é que se cuidar. No tempo de produção, ela se desentendeu com a gravadora e desenvolveu um surto compulsivo. Fiona subia e descia os morros próximos de casa durante oito horas diárias, rendendo-lhe alguns meses de fisioterapia (de acordo com o The New Yorker).

Resultado de anos de reclusão e raras aparições em público, Fiona Apple tornou o seu lirismo mais maduro em “The Idle Wheel…” e fez das músicas uma mistura de sentimentos sem poupar as memórias. Ainda, continuou a evoluir no cenário musical: surgida no cenário das cantoras alternativas dos 1990, ela se mostra contemporânea e extremamente dinâmica, sem precisar estar em evidência na mídia para se alinhar aos sentimentos tão fortes que são atemporais.

FIONA APPLE
The Idler Wheel Is Wiser than the Driver of the Screw and Whipping Cords Will Serve You More than Ropes Will Ever Do
[Clean Slate/Epic, 2012]

Nota: 9,2

Sem mais artigos