Crítica: Beach House | Bloom
NOTA9.4

01 BELA FOTO COM FILTRO
Dupla Beach House se firma como banda da geração-Tumblr em ótimo novo disco

Por Paulo Floro

[Recomendado]

A dupla de Baltimore, EUA, Beach House construiu uma sólida carreira com discos aclamados pela crítica e apostando firme em um estilo, o dreampop, do qual muitas bandas se perderam pelo caminho. Este novo disco, Bloom, seguem com abstrações de sentimentos e capta emoções em forma de faixas etéreas. É uma experiência ainda mais sensorial que o anterior, Teen Dream, que tinha um apelo mais pop.

Leia Mais: Beach House
“Lazuli”, um melhores clipes do ano
Ao vivo no Later… With Jools Holland
Crítica: No segundo disco, banda coloca fãs em penitência

Bloom foi gravado logo após uma turnê de sucesso do grupo, impulsionado pela boa recepção dos dois discos anteriores. Suas composições refletem um mundo idealizado pela dupla Alex Scally e Victoria Legrand: paisagens com filtros de Instagram, uma estética atemporal, com um pézinho no vintage, natureza, o horário eternizado no entardecer de outuno. O clipe de “Lazuli”, segundo single do álbum, é quase um manifesto das intenções estéticas da banda.

De um jeito intimista, mas carregado de drama, Bloom é a trilha sonora da geração-Tumblr, interessada no consumo rápido de um universo paralelo impecavelmente belo. É um mundo instagramizado, que diz mais sobre o interior das pessoas, sobre sentimentos, do que o objeto apresentado. Essa psicodelia moderna encontrou no Beach House o nome mais representativo e, por conseguir captar esse zeitgeist dos anos 00, a dupla é um dos nomes mais importantes de nossa geração, com certeza.

O álbum vem cheio de bons momentos, como “On The Sea”, com a voz de Legrand ainda mais parecida com a de Nico. “Wild”, com a frase genial, “posso acreditar em como o passado vai pegar você”, além dos singles, “Myth”, lançado de forma gratuita antes do disco chegar às lojas, e o “Lazuli”, que ganhou videoclipe dirigido por Allen Cordell.

Coproduzido por Chris Coady, que trabalhou no álbum anterior e vem ajudando a definir o estilo da dupla, Bloom segue uma fórmula já apresentada nos três discos anteriores. Mas, é uma evolução na personalidade que a banda encontrou para se destacar na cena musical atual.

BEACH HOUSE
Bloom
[Sub Pop, 2012]

 

Sem mais artigos