Convite Para Jantar com Stalin, de Buenos Aires, mostra o delicado cotidiano de duas senhoras

Longa Vida ao Cinema Cearense é destaque no Janela Internacional de Cinema
Por Raphaella Spencer

Domingo, acompanhei, pela primeira vez as exibições da mostra no Teatro do Parque. A sessão, O Papel da Câmera, reuniu os curtas que guardavam talvez a relação mais sutil, todos tinham uma câmera intrusa, mas também emergiu entre todos uma certa relação com o tempo, o passar do tempo, e essa interseção foi a que me marcou mais.

Passo, curta de Alê Abreu (SP) que é uma belíssima animação da luta para se libertar de um pássaro engaiolado e que já havia sido exibido no Recife durante a mostra itinerante da Internacional de São Paulo 2007, no Teatro Apolo. A presença de Ricardo Alves Júnior, diretor de Convite Para Jantar com Stalin e dos Irmãos Pretti, reponsáveis por Longa Vida ao Cinema Cearense enriqueceu a sessão e esclareceu o público sobre algumas das intensões dos diretores com seus curtas.

Em Longa Vida ao Cinema Cearense, quatro jovens mascarados, iniciam uma caminhada profissional e logo uma cúpula de jurados analisa um roteiro pela sua forma e espessura. Os jovens, sem máscaras, continua sua caminhada até uma porta que se fecha. O curta é um tratado com a quebra de rótulos, propõe à quem pensa e assiste a produção de cinema no Ceará que deixe um pouco a necessidade de classificar a produção de lado, dedicando um olhar mais atento e individual a cada obra.

Durante a sessão, os irmãos deixaram claro que a brincadeira com as máscaras tem uma relação com um “trêm da alegria”, não tão feliz assim, que sempre passeia pela orla da cidade. Quem quiser conhecer mais da obra dos irmãos Pretti, pode acessar o canal deles no youtube: http://www.youtube.com/user/irmaospretti

Do diretor mineiro, Ricardo Alves Júnior, Convite para Jantar com Stalin, realizado em Buenos Aires, mostra a rotina silenciosa de duas senhoras que dividem um apartamento e parecem sempre estar se preparando para receber alguém. As atrizes são senhoras descobertas em asilos da cidade que toparam a empreitada só pela quebra na rotina, mas acabaram desenvolvendo uma grande cumplicidade tanto com a equipe quanto entre elas próprias. Companheirísmo e ternura fáceis de perceber durante a exibição do curta.

A sessão De Fato 02 – Descrições presenteou os espectadores que continuaram no Parque no domingo à noite com retratos muito respeitosos, de pessoas anônimas e outras nem tanto assim. Caso de Dossiê Rebordosa, stop-motion de César Cabral faz uma investigação sobre os motivos que levaram o cartunista Angeli a “assassinar sua personagem”.

A infância de Anastácia, de Claudio Marques e Marília Hughes, BA e Canosa One de Fellipe Gamarano Barbosa nos apresentam respectivamente Dona Anastácia e o curador cinematográfico Fabiano Canosa, o último, uma dessas figuraças, que todo mundo tem como grande amigo, apresentado a nós por um olhar cheio de admiração e disposto a extrair de um dia filmando a sua rotina, nuances de sua personalidade, fáceis de captar quando entre diretor e personagem há uma amizade de 10 anos, como nesse caso. Mas muito prazerosas de ver, pois para quem assiste pela primeira vez fica a prazerosa impressão de poder conhecer uma pessoa como ela é, com toda a verdade com que nos apresentamos a quem nos conhece há muito tempo.

No curta cearense, Corpos Sagrados, Mariana Porto apresenta o ritual de carregamento do Pau de Santo Antônio, em Barbalha. Entre o sacrifício e o profano, homens sobre o efeito de muita embreaguês abstraem a dor e na confusão dos tons marrons de suas peles queimadas pelo sol do Cariri cearense, registrado de forma muito peculiar pela cineasta, entram num transe ritualístico que vai muito além da relação com fé ou religião.

A representação pernambucana da sessão ficou a cabo de Marcelo Lordello, que através de Garotas de Ponto de Venda, busca compreender o universo das promotoras de venda, com entrevistas com os profissionais relacionados com o setor, indo desde a psicóloga da dinâmica de grupo até o “homem do marketing” doutrinando as meninas com suas dicas de abordagem ao consumidor.

Essas falas servem como pano de fundo para um olhar humano, que através do acompanhamento de suas rotinas, nos fala muito sobre quem são essas garotas (olhares distraídos, bocas que cantarolam entre um cliente e outro esperando o tempo passar), defendendo a tese de que apesar de todo o esforço para produtificá-las, o que existe são indivíduos com toda sua singularidade.

Sem mais artigos