Cena de Os Residentes, que será exibido no Cine Vitrine (Foto: Divulgação)

Por Rogério de Moraes
Colaboração para a Revista O Grito!

Muitos filmes produzidos no Brasil não chegam ao público de cinema. Passam apenas em alguns festivais, onde são até elogiados pela crítica. Porém, na hora de entrar em exibição no circuito, sofrem com os mecanismos do mercado, sufocado pelas produções estrangeiras. Cria-se então um vácuo entre o público interessado nesse cinema menos comercial – de proposta inventiva e baixo custo – e as produções que não chegam até esse público.

A fim de preencher essa lacuna e criar oportunidades para que esses filmes sejam vistos, a distribuidora Vitrine Filmes criou o projeto Sessão Vitrine. O plano é levar esses filmes a diversas cidades do país, através de parcerias com exibidores. Em cada cidade, cada filme fica em cartaz por uma semana, em uma única sessão diária sempre no mesmo horário.

A primeira edição da Sessão Vitrine aconteceu no primeiro semestre deste ano, com a exibição de cinco filmes em sete capitais. Agora, a distribuidora retoma o projeto no segundo semestre, trazendo algumas novidades para esta edição. Segundo a assessoria da distribuidora, o número de cidades foi ampliado, passando de sete para 17 capitais brasileiras. Também aumentou o número de filmes que serão exibidos, de cinco para sete filmes. Outra grande novidade é a inclusão de curtas metragens na programação, que serão exibidos antes das sessões.

O diretor Felipe Bragança, que atualmente está lançando seu mais recente filme A Alegria é um dos diretores que participam do projeto. Seu filme anterior A Fuga da Mulher Gorila é um dos que fazem parte da programação. Bragança vê com entusiasmo a iniciativa. “A Sessão Vitrine abre uma nova janela para a circulação de filmes realizados de forma mais artesanal, com orçamentos menores e um trabalho mais cooperativo do que industrial”, afirma o diretor.

Ao levar o projeto para quase duas dezenas de cidades, a Vitrine Filmes não está apenas divulgando o trabalho dos diretores envolvidos no projeto. Colabora também para que essas cidades, onde esses filmes normalmente não chegariam, possam ter contato com uma produção cultural renovada e jovem em busca de espaço e sempre disposta à provocação e à reflexão. Segundo Bragança, é uma forma de ampliar a cultura de cinema nas cidades por onde passa o projeto.

Veja os filmes e os curtas que serão exibidos nesta edição:

Curta: Fantasmas, de André Novais

Longa: Pacific, de Marcelo Pedroso. Gênero: Documentário. Sinopse: O documentário é todo construído a partir de imagens de passageiros de um cruzeiro que tem como destino uma das mais belas paisagens brasileiras, o arquipélago de Fernando de Noronha. Duração: 72 min.

Curta: A Amiga Americana, de Ivo Lopes e Ricardo Pretti

Longa: A Fuga da Mulher Gorila, de Felipe Bragança e Marina Meliande. Gênero: Ficção. Sinopse: Duas meninas em uma van neste Road Movie musical. Uma história sobre ódio, alegria, uma praia, cana de açúcar e um pouquinho de música. Duração: 82 min.

Curta: Adormecidos, de Clarissa Campolina

Longa: Os Monstros, de Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes e Ricardo Pretti. Gênero: Ficção. Sinopse: Nenhum homem é um fracasso quando tem amigos. Duração: 81 min.

Curta: As Sombras, de Marco Dutra e Juliana Rojas

Longa: Desassossego (Filme das maravilhas), de Karim Ainouz, Felipe Bragança, Marina Meliande, Ivo Lopes Araujo, Carolina Durao, Andrea Capella, Gustavo Bragança, Marco Dutra, Juliana Rojas, Helvecio Marins, Clarissa Campolina, Raphael Mesquita, Leonardo Levis, Caetano Gotardo. Gênero: Ficção. Sinopse: A partir de uma carta escrita inspirada em um bilhete encontrado em um armário abandonado por uma menina de 16 anos, 14 cineastas dirigiram 10 fragmentos de filmes, que foram costurados como uma carta filme de 63 minutos, falando de amor, utopia, explosões e apocalipse. Duração: 63 min.

Longa: Os Residentes, de Thiago Mata Machado. Gênero: Ficção. Sinopse: Em uma casa abandonada, os Residentes instauram uma nova zona autônoma temporária. Jura e o filho alojam-se na cozinha, Matheus e Ava enfurnam-se num quarto, Dimas marca seu território pelas paredes da casa. Logo, eles receberão novos hóspedes: um velho militante neoísta, um auto-exilado e uma artista plástica de renome, aparentemente seqüestrada. As ambiências lúdicas que o grupo cria dentro da casa começam repentinamente a se proliferar pelas ruas da cidade. Duração: 119 min.

Obs.: Não será exibido curta-metragem antes do filme Os Residentes

Curta: Material Bruto, de Ricardo Alves Júnior

Longa: Avenida Brasília Formosa, de Gabriel Mascaro Gênero: documentário. Sinopse: Fábio é garçom e cinegrafista. Registra importantes eventos no bairro de Brasília Teimosa. No seu acervo, raras imagens da visita do presidente Lula às palafitas. Duração: 85 min.

Curta: De volta ao Quarto 66, de Gustavo Spolidoro

Longa: Crítico, de Kleber Mendonça Filho. Gênero: documentário. Sinopse: 70 críticos e cineastas discutem o cinema a partir do sempre interessante conflito que existe entre o artista e o observador, o criador e o crítico. Duração: 76 min.

Sem mais artigos