De Fortaleza (CE)

O DFB Festival – Dragão Fashion Brasil – deu destaque para novos olhares sobre a moda masculina em seu segundo dia. e apresentaram coleções que trazem frescor para a indumentária dos homens. A noite teve ainda desfiles de Wagner Kalliano, Jangadeiro Fashion e Rendá, por Camilla Arraes.

David Lee viu sua carreira crescer desde que estreou no Dragão Fashion Brasil em 2016. Com apenas 27 anos, ele já possui uma assinatura muito marcante e uma identidade que fazem dele um dos nomes mais importantes hoje na moda masculina. Nos últimos anos ele realizou um intercâmbio no prestigiado International Fashion Case, em Londres (onde ganhou exposição na Sommerset House) e realizou uma coleção em parceria com a marca Reserva.

Mas suas raízes seguem fincadas em Fortaleza, cidade onde mantém forte relação, sobretudo por causa da utilização de elementos artesanais em suas roupas, a exemplo do macramê e do bordado. Seu novo desfile se apegou a uma estética solar e imaginou um homem mais otimista e vivaz para enfrentar tempos sombrios. Batizada de “Under The Sun”, as peças seguem muito da proposta de Lee em fazer uma moda utilitária, com muitos bolsos, camisas reversíveis (usáveis dos dois lados) e adaptáveis para diversas ocasiões.

David Lee reafirma sua identidade em coleção bem solar. (Fotos: Roberta Braga e Chico Gomes).

A paleta de cores também se apoiou na assinatura do estilista, com muito uso do amarelo e do azul royal. A novidade, contudo, foi o uso de aplicações de flores sobre as peças, o que é uma novidade em seu estilo. Há também uma influência grande do surfwear. “Minha proposta segue tentando desconstruir essa indumentária masculina, para mostrar que homens também podem usar crochê, cores vibrantes e que isso não tem a ver com questões de sexualidade”, disse Lee ao final do desfile.

A coleção de Lee deste ano reflete tanto um amadurecimento quanto um olhar objetivo para uma nova fase em sua carreira. Agora mais conhecido, ele começa a se apresentar para novos públicos, interessados em seu trabalho e também ao mercado como um todo. Segundo revelou, ele planeja lançar em junho seu e-commerce e espera vender suas peças em duas multimarcas nacionais até o final do ano.

Pela recepção de seu desfile (aplaudido de pé e com uma forte movimentação na entrada), David Lee se reafirma como um dos principais nomes do lineup do DFB e também da moda brasileira hoje.

Boxe foi a inspiração de Bruno Olly este ano. (Foto: Roberta Braga e Chico Gomes)

Ringue da moda

Bruno Olly retorna ao DFB com uma coleção inspirada no boxe. As peças também fugiam do óbvio em relação à indumentária típica pensada para os homens, sobretudo nos cortes e shapes. Revelado no Concurso dos Novos, ação promovida pelo festival para oferecer oportunidades a estudantes de moda de todo o país, esta foi sua segunda passagem pelo evento.

As peças de Olly traziam releituras de roupas do boxe, como calções largos e botas, mas também chegavam com ousadia estética, sobretudo nos macacões armados. Para compor o mis-en-scéne, todos os modelos entraram com maquiagem simulando feridas de luta e machucados e ainda rolou uma encenação com encaradas e barruadas.

O jornalista viajou a convite da organização do festival

Sem mais artigos