O CÓDIGO DA VINCI
dir: Ron Howard [EUA, 2006]

Depois de quase 50 milhões de cópias do livro vendidas por todo o mundo, chega as telas a adaptação do polêmico livro de Dan Brown. Estelando Tom Hanks como o historiador Robert Langdon, e a charmosa Audrey Tautou no papel da detetive Sophie neveau. Além de contar com outros atores de peso no elenco, o que não segura o enredo do filme. Depois de um assassinato ocorrer em pleno Louvre, Langdon e convidado ao local do crime pelo policial Fache ( Jean Reno), para estudar e decifrar as mensagens supostamente deixadas pelo morto. Tentando fugir da acasuções Langdon começa a descobrir o tenebroso mistério em volta das obras de Leonardo da Vinci, que em meio a joguinhos e historinhas sobre o passado de Jesus Cristo o filme se desenrola (ou não). Agradeço ao filme pois me poupara de ler o livro, que mesmo assim não me impressionou e nem me supreendera em momento algum. O filme restringe-se a sussecivos joguinhos de adivinhação embalados por histórias sem embasamento, nem mesmo a cronologia da história foi respeitada, pois até pra isso foi “criada” uma nova. Audrey Tautou está inrreconhecível no filme, não somente pela aparência mas por sua interpretação pífia, que aliada a de Hanks não somou muita coisa. Porém Código da Vinci não lhe entedia, assim como o livro ele é rápido e por maior que se vejam alguns absurdos, ele passa sem que o telespectador “sinta” as duas horas e meia do filme. Com visuais e locações de uma beleza e de uma riqueza histórica fascinante faz com que assim prenda sua atenção, mas não leve a sério seu roteiro, pois o mesmo é igual a teoria de Dan Brown, não existe. [Gentil Albuquerque]
NOTA:: 1,0

Sem mais artigos