A TRILHA SONORA DO INSTINTO HUMANO
Rivotrill lança primeiro disco em noite sugestiva
Por Rafaella Soares

Rivotrill
Show de lançamento do disco de estréia Curva do Vento
Teatro de Santa Isabel, Recife

Com uma aura de banda cultuada reforçada pela suntuosidade do Teatro Santa Isabel, a banda Rivotrill lançou na última sexta-feira o aguardado cd de estréia da banda, Curva de Vento.Os ingressos distribuídos gratuitamente duas horas antes do show não foram suficientes para o público que fez fila e não conseguiu assistir a apresentação.

Todos estavam ali para ver a banda, formada em 2006, que já tocou no Rec-Beat e vem consolidando o trabalho na cena local. A apresentação quase reverente feita por Silvério Pessoa, só fez aumentar a expectativa do público. Quando a banda entrou, no entanto, o clima foi ficando cada vez mais intimista, deixando a sensação de que havia bem menos que 900 pessoas na platéia. Ou pode ser tudo sugestão.

Sugestão, aliás, é o que pode melhor se aproximar da definição do som. Com influências declaradas de Jethru Tull, jazz e música regional, a Rivotrill consegue ser altamente plural com apenas três integrantes, que se revezam entre flauta, sax, contrabaixo e percussão.

Com a participação de Yuri Queiroga e Fabinho Costa, o trio interagia a cada intervalo com a platéia, para dar pequenas introduções à respeito da música seguinte. Mas o som da Rivotril, com o perdão do trocadilho, não precisa de bula. É coisa fina para consumo irrestrito.

Junior Crato, Rafa Duarte e Lucas dos Prazeres fizeram em pouco mais de duas horas um show complexo de aceitação imediata. Foram aplaudidos de pé e no bis novamente.

Sem mais artigos