RECIFE NUMA ONDA RACIONAL
Apertar os ânimos e abrir as cabeças
Por Rafaella Soares, texto e fotos

Na contramão dos ritmos regionais algumas novidades – ainda com algum pequeno delay pós-manguebeat – surgem na cidade.

Nascida em 2004, a partir da necessidade de alguns amigos construírem um som com base no funk/groove, a banda Pé-Preto vem imprimindo personalidade em músicas próprias e versões muito bem sacadas (destaque para as releituras de “O vendedor de bananas” e “Eleanor Rigby” reggaeada).

Com um EP recém gravado em São Paulo, eles têm feito shows pelo Recife,e em parceria com a Diz Maia (projeto que toca versões de Tim Maia fase Racional), abriram o Projeto Tiragosto no Novo Pina.

O velho sobrado do Recife Antigo se transformou numa verdadeira festa black, com o público lotando a casa para lembrar de clássicos como “Bom Senso”, “Imunização Racional” e “Universo em desencanto”. Em seguida entrou a Pé-Preto, com seu set list suingado: “Juarez Mendes”, “Lisboa de Castro”, “Meus filhos, meu tesouro, meu futuro”. O som das duas bandas é azeitado, e os arranjos saem do convencional.

O boca a boca é o maior responsável por fazer as bandas locais estourarem, e se depender da empolgação de quem assiste e da qualidade, mais um nome vai despontar logo na cidade.

Sem mais artigos