Conhecido pelas posições políticas na passarela, um dos mais importantes nomes da moda autoral do País retorna cheio de graça e pede tranquilidade para esses tempos conturbados

Da Revista O Grito!, em Fortaleza

Conhecido por usar a moda como palco para discutir suas inquietações políticas e sociais, o estilista Lindebergue Fernandes tomou um caminho mais introspectivo nesta 18ª edição do Dragão Fashion Brasil, que aconteceu em Fortaleza. Tendo como tema a espiritualidade e a religião cristã ele pegou referências de sua vivência como coroinha católico e devoto de Nossa Senhora de Fátima (cuja aparição completou 100 anos).

Leia Mais
A moda autoral se comunica

Falar de devoção na passarela foi a forma que Lindebergue encontrou para pedir por períodos menos turbulentos, momentos de reflexão. “Eu vinha de vários desfiles muito políticos, que refletiam minhas inquietações e insatisfações, seja falando de homofobia, crise no Brasil, agora eu quis falar de paz”, disse o estilista após a apresentação.

Os looks traziam como referência a indumentária dos ritos católicos, de padres, feiras e diáconos, contrastando com estampas exclusivas e dizeres em vermelho brilhante. Entre os materiais usados estão a sarja, sarja acetinada, algodão, tudo muito confortável. As peças traziam um tom majestoso com detalhes que faziam alusão aos vitrais de igreja e afrescos ao estilo Michelangelo.

Nos acessórios Lindebergue usou bolsas de crochê e óculos com detalhes florais da marca Di Poly. A ideia do artista era usar apenas branco, mas a concepção foi mudando ao longo do processo. “Pensei em tudo branco inicialmente para representar a paz e a tranquilidade, mas depois de desenvolver algumas estampas, as peças foram ganhando mais cores e saiu esse resultado”, diz.

Um dos nomes mais importantes da semana de moda autoral de Fortaleza, Lindebergue Fernandes foi conquistando um espaço cativo de destaque da programação. A cada ano seu desfile é um dos mais aguardados justamente por quebrar um paradigma do que entendemos como uma passarela de moda. No seu conceito as modelos precisam abstrair o modo automático de “vender” uma peça, um eterno jogo de sedução que vemos em praticamente todo desfile, para um recuo contido, onde o imaginário das peças ganhem mais apelo.

As modelos vinham com uma expressão que destacava o sentimento de paz interior alcançado por muitos devotos. Outros vinham sérios e resolutos como pedem algumas liturgias. E outros vinham felizes como jovens em uma tarde dominical religiosa.

Foi, com certeza, um dos desfiles mais bonitos de Lindebergue Fernandes, que completa 15 anos de Dragão Fashion Brasil. Depois de deixar seu posicionamento em diversas coleções, o autor agora celebra um momento de tranquilidade pessoal para acenar a momentos menos conturbados. Veja abaixo mais looks:

Fotos de passarela por Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago. Foto de abertura do post e de backstage por Nicolas Gondim.

* O jornalista viajou a convite da organização do festival.

Sem mais artigos