Céu encara introversão e surge rebolativa no Baile Perfumado

Da Revista O Grito!

Céu @ Baile Perfumado
Recife, 15 de setembro 2012

Uma Céu mais soltinha (leia-se rebolativa) apareceu no palco do Baile Perfumado, na noite do último sábado (15), no Recife. Lançando na cidade o seu mais recente disco, Caravana Sereia Bloom, ela mostrou criatividade no repertório.

Leia Mais: Céu
Crítica do disco Caravana Sereia Bloom, por Juliana Simon

Céu é um dos nomes mais interessantes da nova cena pop atual. Ela adiciona tantas referências em seu som, do reggae à psicodelia que chega a ser injusto taxá-la de nova MPB (como faz muita gente, incluindo a própria produção do show). Nesse novo trabalho, ela segue relatando a vida na estrada e escolheu o brega para embalar músicas sobre amores não-correspondidos, paixonites e saudade.

O show começa com “Falta de Ar”, a faixa mais pesada do álbum, com uma guitarra que ficou ainda mais pesada ao vivo. A cantora soltou ainda hits como “Cangote” e “Baile de Ilusão”. Outras, como “Cangote” saíram com roupagem totalmente diferente do disco, com mais peso. Cheia de traquejos vocais, ela vai dos sussurros até os agudos, adaptando-se de acordo com a proposta das diversas vertentes que explora: afrobeat, trip hop, rock, eletrônica. Ainda houve espaço para surpresas, como incluir “Mora na Filosofia”, de Caetano Veloso, dentro de “Malemolência”.

Encerrou com “Chegar Em Mim”, faixa composta por Jorge Du Peixe para a cantora. Conhecida por sua timidez, Céu retornou ao Recife bastante diferente, com uma interação maior com o público (que a encara como diva) e com direitos a passinhos e reboladinha. O dia ainda teve Mundo Livre SA, que mostrou faixas do seu novo disco, Novas lendas da etnia Toshi Babaa.

Sem mais artigos