Nesta sexta-feira (15), o escritor pernambucano lançará seu mais novo livro, o Planta Baixa, pela Editora Patuá. Na coletânea de contos, ele abordará as urgências e a liquidez do mundo contemporâneo nas relações interpessoais.

Nesse sentido, Cleyton ambienta as narrativas a partir de uma construção residencial, com jardim, cozinha, sala de estar, banheiro, varanda e quarto. Para cada cômodo, as ações e sensações das personagens mudam, embora essas sinestesias específicas acabam formando uma unidade.

No jardim, estão as histórias mais leves, com o olhar, por vezes, infantil sobre o mundo. Na varanda, os personagens são pré-adolescentes. “Toda vez que Aninha passa, meu negocinho cresce”, diz determinado trecho. Na sala, as pessoas são apresentadas de forma mais densas. Entrando no quarto, as emoções vão se intensificando e aumentando o clima íntimo. Muitos pelo viés sensual, como no conto Caspas, que apresenta um jogo amoroso durante um jantar. Mas não apenas o aspecto sexual está presente. Carta para papai Noel, por exemplo, é sobre a mulher que fica esperando o bom velhinho para ter um final de ano mais feliz no barraco onde mora com a família. A cozinha mostra os personagens transitórios e complexos. Já no encerramento do livro, o banheiro representa justamente os textos mais obscenos da obra. Portanto, o livro diz muito sobre os relacionamentos que vêm e vão

Um dos pontos altos do livro é a fluidez narrativa que, por vezes, sugere uma leitura em voz alta e até mesmo a interpretação, como um texto teatral. Isso ocorre, principalmente, porque Cleyton também é ator. Dessa forma, vive e dá vida àquilo que escreve.

Cleyton consegue resinificar o simples em “Planta Baixa”. Além de falar desses relacionamentos e a intensidade em cada fase da vida, o livro traz a tônica da urgência do nosso mundo tecnológico e das frustrações advindas dele. No conto Oração, quando a personagem diz “Nossa senhora do Não Estou Nem Aí, fazei com que eu não me importe se fulano visualizou a mensagem no Facebook e no WhatsApp e não respondeu”. Ou então em “Casa de Espelhos” sobre a jovem obesa que não gosta de se olhar no espelho do quarto, para depois emagrecer e virar uma anorexa inveterada, com obsessão pela própria imagem.

O lançamento vai acontecer no Gabinete Português de Leitura, localizado na Rua do Imperador II, 290, no , às 19h desta sexta-feira (15), com a presença do autor.

Sem mais artigos