PRÍNCIPE DA PÉRSIA – AS AREIAS DO TEMPO
[Prince of Persia: The Sands of Time, EUA, 2010], de Mike Newell (Disney). Gênero: aventura. Elenco: Jake Gyllenhaal, Gemma Arterton, Ben Kingsley. Sinopse: Príncipe se alia a princesa de um reino rival para impedir que um tirano maléfico lance uma tempestade de areia capaz de destruir o mundo. Baseado no jogo de viodegame. Duração: a definir.

A principal estreia desta sexta (4) é mesmo Príncipe da Pérsia, um dos blockbusters mais aguardados, estrelados por Jake Gyllenhaal. O filme é baseado num famoso jogo de videogame e fala da luta contra um tirano com poder de lançar uma tempestade de areia capaz de destruir o mundo. Trata-se da maior produção ligada a um game já feito. E mostra a força que as franquias nerds podem ter. O autor do jogo, Jordan Mechner, também escreveu o primeiro projeto do roteiro. Ele já lucrou milhões com Prince Of Persia, e desde sempre pensou sua criação como uma franquia lucrativa e multimídia. O filme também está sendo bastante comentado por tentar vender Gyllenhaal como galã, depois da elogiada atuação em Brokeback Mountain e Zodíaco. Aventura ágil, deve fazer sucesso nos fins de semana.

O GOLPISTA DO ANO
[I Love You, Phillip Morris, EUA, 2009], de Glenn Ficarra e John Requa (Imagem). Com: Jim Carrey, Ewan McGregor, Rodrigo Santoro. Sinopse: Ex-oficial e pai de família foge constantemente da prisão. Em uma das fugas conhece Phillip Morris, colega de cela. Quando este é liberto, Russel tenta de todas maneiras encontrar Morris fora da prisão e passa por situações inusitadas, como tornar-se diretor financeiro de uma companhia.

Outro filme de destaque é este I Love Phillip Morris, que por aqui ganhou o horrendo nome de O Golpista do Ano. Deve ser o efeito Direito de Amar, o título ridículo que marqueteiros brasileiros deram a A Single Man, de Tom Ford. Este longa que estreia nesta sexta (4), fez muito sucesso em festivais gays e de cinema independente e por pouco não foi direto para DVD no Brasil. Jim Carrey num papel dramático sempre é uma boa surpresa, como já vimos em O Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, de Michel Gondry. Rodrigo Santoro, que mesmo aparecendo pouco tem importância vital para a trama, também foi muito elogiado. Atrelado ou não ao rótulo “queer movie”, O Golpista do Ano vale a pena ser visto.

DZI CROQUETES
[Brasil, 2009], de Tatiana Issa e Raphael Alvarez (Imovision). Com: Giovanna Mezzogiorno, Filippo Timi, Sinopse: A trajetória do grupo teatral que se tornou símbolo da contracultura ao confrontar a ditadura usando a ironia e a inteligência.

AO SUL DA FRONTEIRA
[South of the Border, EUA, 2010], de Oliver Stone (Europa). Sinopse: O documentário examina as políticas econômicas de livre mercado historicamente impostas pelos Estados Unidos e pelo FMI na região e como elas falharam em aliviar o problema crônico da desigualdade social na América Latina e contribuíram para a ascensão de líderes socialistas e social-democratas na região.

ELEVADO 3.5
[Brasil, 2007], de João Sodré, Maíra Bühler e Paulo Pastorelo. (Dist. própria).  Sinopse: Documentário sobre a vida de pessoas que moram, trabalham e/ou circulam ao longo do Minhocão, via elevada que atravessa a região central de São Paulo.

MARMADUKE
[EUA, 2010], de Tom Dey (Fox). Com: Owen Wilson, William H. Macy, Judy Greer. Sinopse: Baseado nas tiras em quadrinho do cão Marmaduke. Duração: a definir. Classificação: livre.

Sem mais artigos