Fantasmas (Gespenster) de Christian Petzold (2005)

Fantasmas (Gespenster) de Christian Petzold (2005)

O Cineclube do Sesc Casa Amarela acaba de ganhar nome, passando a se chamar Coliseu. Uma homenagem ao cinema de arte do maior bairro da Zona Norte do Recife, que nos anos 60 e 70 formou uma geração de cinéfilos e cineastas da cidade. Depois de promover, nos meses de maio e junho, mostras de curtas-metragens (Festival de Cinema de Brasília) e animação (Anima Mundi), o Cineclube Coliseu leva ao público, neste mês de setembro, o Melhor da Produção do Cinema Contemporâneo Alemão.

Em parceria com o Goethe Institut de São Paulo, o Coliseu traz oito filmes inéditos no Recife, produzidos entre os anos de 2000 e 2006, de uma safra de cineastas como Hans-Christian Schmid, com um de seus trabalhos de maior sucesso, Luzes; e Anno Saul, com o divertido Conexão Kebab.

Todos os sábados do mês serão exibidos dois filmes (13h30 e 15h30). Ao final da segunda sessão, acontece um debate com pesquisadores e jornalistas como Ângela Prysthon e Alexandre Figueirôa, entre outros.

Neste sábado (06.09), serão exibidos os filmes Blindflyers, de Bernd Sahling (2004); e o polêmico retrato de um relacionamento lésbico, Fantasmas, de Christian Petzold (2005). O debate da tarde terá como tema “Cinema e Sexualidades”, tendo o jornalista e curador da Mostra, Rodrigo Dourado, como mediador. O acesso às sessões é GRATUITO.

O SESC Casa Amarela fica na Avenida Professor José dos Anjos, 1109, Mangabeira – Recife. Maiores informações pelos fones: 3267 4410 / 32674400.

Confira a Programação Completa:

Dia 06
13h30

Blindflyers (Die Blindgänger) de Bernd Sahling (2004)

Blindflyers (Die Blindgänger) de Bernd Sahling (2004)

Blindflyers – Bernd Sahling – 88 min, 2004

Marie e Inga não são muito diferentes das outras meninas da mesma idade, só que elas não enxergam. Para elas isso é completamente normal, mas não para os normais “Enxergam-tudo”. E mais um vez elas têm que sentir isso na pele ao se candidatarem para tocar numa banda da escola que precisa de reforço. O encontro com um menino do Casaquistão muda a vida delas. Mas até que elas comecem a fazer sucesso no meio musical e o menino possa voltar à sua terra natal, ainda terão que vencer muitos obstáculos.

15h30

Fantasmas – Christian Petzold – 85 min, 2005

O filme aborda de forma precisa e delicada a relação fugaz entre duas adolescentes marginais. Uma delas fora roubada de sua mãe numa loja quando ainda bebê, por razões que o filme nunca elucida. A outra é uma jovem delinqüente que convence sua nova “namorada” a realizar pequenos furtos e delitos. Petzold mantém um distanciamento de suas personagens, não faz nenhum julgamento e tampouco oferece uma solução a seus problemas.

Debate: Cinema e Sexualidades
Debatedor: Rodrigo Dourado

Dia13
13h30

As Salas De Aula Voadoras – Tomy Wigand – 110 min., 2002

Refilmagem atualizada de um romance de Erich Kästner. Jonathan (12 anos) vai para o internato da mundialmente famosa Escola de São Tomás em Leipzig. Os colegas de turma logo fazem amizade com o novato. Eles encontram o manuscrito de uma peça de teatro e resolvem encená-la, mas o diretor do coral os proíbe de fazê-lo. Ele próprio havia escrito o manuscrito com a ajuda de seu amigo Robert, que desaparecera após a fuga de seu pai da RDA para a RFA. As crianças descobrem o que havia acontecido e, finalmente, conseguem fazer sua festa de natal, que é um grande sucesso.

15h30

Conexão Kebab – Anno Saul – 96 min., 2005

Ibo é um hamburguês turco de 21 anos, criativo e caótico, que adora Bruce Lee. Tudo o que ele quer da vida é rodar o primeiro filme alemão de kung-fu. Com um spot de propaganda para a casa de döner kebab (churrasquinho grego) do tio ele é festejado como o novo Steven Spielberg em seu bairro. Mas a inesperada gravidez da namorada põe sua vida de pernas para o ar. O pai lhe dá um cartão vermelho porque a moça não é turca, e esta também o põe para fora, pois o rapaz nem pensa em trocar fraldas. A Ibo restam apenas seus amigos e os spots. E a sensação de querer de volta sua antiga vida.

Debate: Cinema e Juventude
Debatedora: Sabrina Tenório

Dia 20
13h30

Emil e os Detetives – Franziska Buch – 98 min., 2000

Ao viajar de um lugarejo às margens do Mar Báltico para Berlim, Emil Tischbein, um garoto de 12 anos, é roubado por um vigarista. Quando chega a Berlim, ele segue o criminoso e logo consegue o apoio de uma gangue juvenil, comandada pela pequena Pony Hütchen, que providencia toda a ajuda necessária. Uma multidão incalculável de crianças agarra o ladrão.

15h30

Luzes – Hans-Christian Schmid – 105 min., 2003

A história de duas cidades às margens do rio Oder: a Frankfurt alemã e a Slubice polonesa. Após o término da Guerra Fria, o velho conflito entre leste e oeste foi deslocado para o âmbito econômico. O filme fala de pessoas que querem ir para a Alemanha a qualquer custo, de pessoas que não encontram lá o paraíso sonhado, de negócios legais e ilegais e de uma fracassada história de amor entre o leste e o oeste.

Debate: Narrativas de fronteira
Debatedora: Ângela Prysthon

Dia 27

13h30

O Nono Dia – Volker Schlöndorff – 97 min., 2004

Em fevereiro de 1942 o padre luxemburgense Henri Kremer recebe nove dias de liberdade do campo de concentração. Gebhardt, oficial da Gestapo, coloca-o frente a decisão entre vida e morte: Kreme deve convencer a sua igreja a colaborar com os nazistas. De outra forma, não somente ele como também sua família e confrades presos estariam ameaçados de morte. Durante nove dias ele leva diariamente uma disputa de discursos e pensamentos brilhantes com o oficial da Gestapo. Kremer luta com este conflito de consciência, onde não existe certo ou errado. Baseado em trechos do diário do religioso Jean Bernard, surgiu um filme penetrante e instigante, com diálogos sagazes e excelente atores, que se ocupa da pergunta atemporal sobre a responsabilidade do indivíduo.

15h30

O Pontapé – Andres Veiel – 82 min., 2006

Adotando o formato de uma peça de teatro, reconstituem-se as circunstâncias do assassinato brutal de um adolescente, Marinus Schöbert, de 16 anos. Na noite de 12 de julho de 2002, ele foi espancado e morto em Potzlow, a 35 km de Berlim, por dois irmãos, Marco e Marcel Schönfeld, que eram seus conhecidos e haviam saído para divertir-se junto com ele. Baseado nos autos do processo, o filme dá voz aos assassinos, aos pais e à própria vítima.

Debate: Cinema e Teatro – Diálogos
Debatedor: Alexandre Figueirôa

Sem mais artigos