Leonardo Lacca foi o grande vencedor da noite. (Foto: Daniela Nader/ Divulgação).

Leonardo Lacca foi o grande vencedor da noite. (Foto: Daniela Nader/ Divulgação).

A ficção pernambucana Permanência, de Leonardo Lacca, foi o grande vencedor do Cine PE, que terminou nesta sexta (8), no Cine São Luiz, no Recife. O diretor português Pedro Costa, de Cavalo Dinheiro, ganhou as calunga de melhor diretor, roteiro e fotografia (com Leonardo Simões), além do prêmio da crítica. Entre os curtas, Até a China, de Marão, foi o melhor filme, e Cíntia Domit Bittar, a melhor diretora com O Segredo da Família Urso.

Leia Mais
Uma conversa com Alceu Valença, diretor de cinema
Cine PE: exotismo indiano e candomblé
Cine PE: festival foi palco para o ResisteEstelita
Cine PE: As vaias a Eduardo Campos

Permanência conquistou o prêmio de melhor filme, atriz (Rita Carelli), atriz coadjuvante (Laila Pas), ator coadjuvante (Genesio de Barros) e diretor de arte (Juliano Dornelles). O longa era o grande favorito para vencer o festival.

Outro destaque foi a ficção portuguesa Cavalo Dinheiro, que ganhou ainda o prêmio de melhor filme, segundo o júri da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

Foto: Mariana Guerra/Divulgação.

Foto: Mariana Guerra/Divulgação.

Entre os curtas-metragens nacionais, a animação carioca Até a China, com direção de Marão, ganhou as premiações de melhor filme, roteiro e do júri popular. Cíntia Domit conquistou a melhor direção com o filme O Segredo da Família Urso. A produção de catarinense levou ainda os prêmios de melhor atriz, direção de arte e edição de som.

Na competição da Mostra Pernambuco, o curta Salu e o Cavalo Marinho foi o melhor filme, segundo os júris oficial e popular. Lírio Ferreira ganhou o prêmio de melhor diretor com O Poeta Americano. A obra ganhou ainda menção honrosa pelo júri da Abraccine. Confira no final do texto a relação dos premiados.

Cecília da Fonte ganhou melhor filme e melhor filme juri popular com o curta pernambucano Salu e o Cavalo Marinho. Foto: Daniela Nader/ Divulgação.

Cecília da Fonte ganhou melhor filme e melhor filme juri popular com o curta pernambucano Salu e o Cavalo Marinho. Foto: Daniela Nader/ Divulgação.

Balanço

O Cine PE foi encerrado hoje com as homenagens à atriz Helena Ignez e ao músico e diretor de cinema, Alceu Valença, além da primeira exibição em Pernambuco do longa-metragem A Luneta do Tempo. O festival começou no último dia 2 de maio e exibiu 27 filmes, entre curtas e longas-metragens. O público foi de oito mil pessoas, segundo a organização.

O festival iniciou este ano uma nova fase, retornando ao Cine São Luiz, onde começou. Alegando problemas relacionados à crise financeira, a organização fez uma edição mais enxuta.

O Cine PE ainda serviu de palco para protestos de público e realizadores. No domingo, durante a homenagem ao ex-governador Eduardo Campos, a ex-primeira dama, o governador Paulo Câmara e o prefeito do Recife, Geraldo Júlio, foram vaiados. Cineastas, como Raoni Assis, também aproveitaram o evento para reforçarem a luta do ResisteEstelita, que é contra a destruição do Cais José Estelita para construção de 13 prédios.

Sem mais artigos