Cena do filme Bodas de Papel

.
CINE PE APOSTA NOS NOVOS DIRETORES
Começa esta semana uma das principais competições de cinema do país

Cinéfilos, peguem suas carteirinhas! É aberta a temporada do Cine PE – Festival do Audiovisual, um dos mais calorosos e freqüentados festivais de cinema do país, que começa hoje e até o começo de maio apresenta uma miscelânea de mais de cinqüenta filmes, entre curta e longa-metragens. A largada para a maratona de sessões, encontros e debates sobre cinema será inaugurada neste sábado (26), com a Mostra Pernambuco, exibição paralela do evento destinada a dar espaço à nova produção local – uma novidade desta versão. Uma outra inovação é a criação de um pólo exibidor fora da Capital, o Cine PE na Estrada, que aporta em Porto de Galinhas, o balneário mais badalado do estado, com sessões gratuitas para o público em geral.

Em sua 12ª edição, o Cine PE reforça ainda mais a identidade de revelar o novo, como se espera de um bom festival que se preze. Tanto é que são poucos os nomes consagrados que irão desfilar pelo tapete vermelho do Centro de Convenções, na entrada no Cineteatro Guararapes, por onde costuma circular, por dia, cerca de 3 mil pessoas durante a mis en scène do festival. Alguns já são nomes tarimbados da premiação, mas fazem parte de uma seara recente e ainda pouco desconhecida do grande público.

Da seleção de longas, foram recebidos, ao todo, 77 inscritos e apenas oito passaram pela peneira. Desses, apenas um é pernambucano, o cineasta Leo Falcão (The lastnote.com e A vida é Curta), que faz sua estréia em longa-metragem com o filme Guia Prático, Histórico e Sentimental da Cidade do Recife, documentário inspirado no livro homônimo do sociólogo Gilberto Freyre. Os outros são Bodas de Papel (SP), de André Sturm, veterano do Cine PE, também estreando em longa; Brizola: Tempos de Luta, documentário do gaúcho Tabajara Ruas, também um habitué do festival; Nossa Vida Não Cabe Num Opala (SP), ficção de Reinaldo Pinheiro; O Retorno (SP), do paulista Rodolfo Nanni; Olhar de Um Cineasta, do catarinense César Cavalcanti; Ouro Negro, da carioca Isa Albuquerque, e Simples mortais (DF), de Mauro Giuntini.

A seleção competitiva de curtas é, porém a mais interessante, com uma pulsão mais forte do cinema contemporâneo que é feito hoje. Temos Café com Leite, do paulistano Daniel Ribeiro, vencedor do Urso de Cristal no Festival de Berlim; Décimo Segundo, do pernambucano Leo Lacca (Ventilador), melhor diretor de curta-metragem no último Festival de Cinema de Brasília; Até O Sol Raiá, de Fernando Jorge e Leanndro Amorim, animação totalmente made in Pernambuco, ovacionada no último AnimaMundi, um dos mais importantes festivais do gênero no mundo. Os destaques vão ainda para o Dossiê Rê Bordosa, animação paulista de César Cabral sobre o quadrinho do cartunista Angeli, e o O Filme do Filme Roubado do Roubo da Loja de Filmes, de Marcelo Yuca, Julio Pecly e Paulo Silva, polêmico curta filmado todo em celular sobre a violência do Rio de Janeiro.

Segundo a diretora do Cine PE, a presença de poucos pernambucanos na mostra competitiva de longas se deveu a uma curadoria mais criteriosa. E disse que o compromisso do festival é revelar a produção contemporânea, independente dela ser local ou não. “Somos um festival de caráter nacional e ficamos muito felizes em ver que a produção pernambucana de filmes tenha crescido muito nos último cinco anos. Temos agora que nos preocupar com a qualidade dos nossos filmes, o acabamento”, atesta Sandra Bertini.

Indagada se a criação de uma mostra pernambucana não segmentaria a produção audiviosual, ela diz enxergar de outra forma. “É mais uma janela de exibição. Mais uma oportunidade de se assistir a filmes pernambucanos que não estão na grade oficial das mostras competitivas. Ao invés de segmentar, vamos unir e ampliar a divulgação da produção audiovisual local”, explica Sandra.

SERVIÇO:
12º Cine PE – Festival do Audiovisual
De hoje a 4 de maio, a partir das 18h30
Fundação Joaquim Nabuco (Derby), Cineteatro Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco, e Porto de Galinhas
Ingressos:

Mostra Pernambuco – Fundaj (Derby)
R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia)
Cine Guararapes
R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia), à venda em lojas da BR Mania no Recife, Olinda e Jaboatão ou Disk Ingresso – (81) 3222.8699
Telefone: (81) 3427.8020 / 8207

Cine PE na Estrada (Porto de Galinhas) – gratuito
Site: www.cine-pe.com.br

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA


ESPECIAL CINE-PE

O que já foi publicado pelo festival na Revista O Grito!

Entrevistas:
Daniel Ribeiro
Leonardo Sette
Leo Falcão
Leonardo Lacca

Sem mais artigos