Cena do filme "Menino 23", em competição entre os longas. (Divulgação).

Cena do filme “Menino 23”, em competição entre os longas. (Divulgação).

O – Festival Ibero-Americano de Cinema começa nesta semana com a exibição de mais de 100 filmes. O evento chega à 26ª edição como um dos mais importantes festivais brasileiros. A programação acontece entre os dias 16 e 22 de junho em Fortaleza.

Nesta edição do Cine Ceará, oito longas concorrem ao troféu Mucuripe. O espanhol Avó, de Asier Altuna, será o filme de abertura. Durante o fim de semana, serão apresentados dois filmes a cada noite: na sexta, acontece a sessão do mexicano Epitáfio, de Yulene Olaizola e Rubén Imaz; no sábado é a vez do nacional Maresia, de Marcos Guttmann, com Julio Andrade e Vera Holtz, longa inédito no Brasil, e do panamense Salsipuedes, de Ricardo Aguilar e Manolito Rodríguez; já o domingo terá a exibição dos brasileiros Menino 23, de Belisario Franca, também exibido pela primeira vez no país, e Do outro lado do atlântico, de Daniele Ellery e Márcio Câmara.

"Maresia", com Vera Holtz. (Divulgação).

“Maresia”, com Vera Holtz. (Divulgação).

A competição de longas se completa com a sessão de Casa Blanca, de Aleksandra Maciuszek; Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois, de Petrus Cariry, e Clever de Federico Borgia e Guilhermo Madeiro.

Os curtas-metragens concorrem ao troféu Mucuripe em várias categorias. Na Mostra Competitiva Brasileira de Curtas-Metragens, estão 14 produções de sete estados, e na Mostra Olhar do Ceará são 39 selecionados.

Este ano, o México é o país homenageado com a Mostra de Cinema Mexicano, que apresentará 22 filmes, dos quais sete são inéditos no Brasil. A Mostra exibirá importantes obras do cinema mexicano contemporâneo como La Maldad, de Joshua Gil; Te Prometo Anarquía, de Julio Hernández, entre outros, e acontece de 7 a 19 de junho na CAIXA Cultural Fortaleza. Mais detalhes dos horários das sessões no site do festival.

Sem mais artigos