ALMA DE PORTO ALEGRE
Novo volume da série Cidades Ilustradas mostra a visão do desenhista argentino Carlos Nine
Da Redação

CIDADES ILUSTRADAS – PORTO ALEGRE
Carlos Nine (texto e arte)
[Casa 21, 72 págs., R$ 65]

Retratar uma cidade, gente e costumes é mesmo uma tarefa difícil. É preciso não apenas fazer a varredura pelo asfalto e pela camada de concreto, mas também adentrar no que há de humano nela. É o que, em parte, tenta captar a nova edição da série Cidades Ilustradas, prensada pela editora gaúcha Casa 21. Após registrar capitais brasileiras como São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro pelas mãos de David Lloyd, Guazelli e Jano, a publicação convidou o argentino Carlos Nine para adaptar a cidade do Rio Grande do Sul para o universo dos quadrinhos no livro Porto Alegre – Cidades Ilustradas, que acaba de ser lançado.

O mérito da ilustração é o de mostrar a cidade gaúcha sob o ponto de vista da imaginação e do conto de fadas. Fruto de um olhar estrangeiro que registra a realidade com ar de curiosidade, a publicação leva o leitor a uma viagem onírica de Porto Alegre povoada por entes e figuras fantásticos como nuvens falante, cão que bebe vinho, patos, gansos, coelho-artista. É, em si, um recurso que se aproxima dos contos infantis de Hans Christian Andersen e dos irmãos Grimm e torna a releitura agradável e cativante.

Às vezes, o didatismo peca, no entanto, pela linearidade narrativa. O que poderia ser um olhar afetivo sobre os tipos e o ambiente porto-alegrense detém-se mais na busca de radiografar os principais pontos turísticos da cidade. Cada logradouro – o Guaíba, Praça XV, Mercado Público, Casa de Cultura Mário Quintana, Praça da Matriz – é descrito em um encadeamento apenas distante. Com uma postura contemplativa.

O único momento mais “afetivo” é uma série de tiras em que Nine mostra senhoras em um balcão de um velho casario. “As velhas senhoras tomam mate, uma infusão muito comum na nossa zona. O pôr-do-sol é um momento ideal para que elas reflitam…sobre as coisas da vida e do amor. Que terá acontecido com seus antigos namorados?”, questiona. Um retrato bonito e sensível, que foge do lugar-comum dos guias turísticos. Uma exceção.

O cineasta gaúcho Jorge Furtado (Meu Tio Matou Um Cara) assina o prefácio da edição. No texto, Furtado diz que a compilação foi fidedigna ao cenário da cidade, faltando apenas citar o Museu Iberê e o Teatro São Pedro. “Mas o melhor da cidade está lá, a incomparável luz oblíqua, os prédios elegantes, o céu imenso sobre o Guaíba…”, diz, em certo trecho. Os ilustradores Fábio Zimbres e Jack Kaminski também participaram da edição no trabalho de pesquisa fotográfica.

Nine foi convidado pela Casa 21 a encabeçar o projeto em 2001, após participar da segunda edição do Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ). Nascido em Buenos Aires em 1944, o desenhista e ilustrador é célebre pela técnica de auto-relevo em forma de “escultura” e por se enveredar pelos contos infantis.Além da Argentina, tem livros publicados na Espanha e na França após a fama internacional em 1996. Em 2000, ganhou prêmio do Angoulême, um dos maiores festivais de quadrinhos europeu, pelo livro Fantagas.

De caráter didático, Porto Alegre – Cidades Ilustradas conta com o apoio do Governo Federal e será distribuído em escolas municipais. Está também à venda no site da editora com 50% de desconto. Mas também está disponível para download gratuito aqui.

NOTA: 7,5

Sem mais artigos