Trabalhos inspirados no imaginário brasileiro são sempre bem-vindos. Quando são feitos para o público infanto-juvenil, mais ainda. É esta a proposta da HQ online Ciça, A Menina-Saci. Criada pelos brasilienses Bruno Prosaiko (história e cor) e Lucas Marques (história e desenho), do selo Aerolito, a série tem ainda opção de audiodescrição e contará ao todo com oito episódios em mais de 100 páginas de gibi.

A obra traz referências do folclore brasileiro, cultura pop, humor e aventura e trazem como influência autores como Akira Toriyama (Dr. Slump), Jim Woodring (Frank), James Kochalka (Fungos) e Noelle Stevenson (Nimona). Se inspiram também em animações do estúdio Ghibli e nos desenhos Hora de Aventura, Apenas um Show, Titio Avô, Irmão do Jorel e Historietas Assombradas para Crianças Malcriadas.

“O Bruno tirou da gaveta uma personagem que tinha bolado anos atrás para um concurso, e juntos reformulamos completamente o conceito inicial – muito diferente do que é agora. Ela surgiu da nossa vontade de revisitar o folclore brasileiro e temas complexos – como construção de identidade, polarização política, relacionamentos abusivos, amadurecimento e machismo – com uma abordagem leve e, esperamos, divertida”, conta Lucas. “E queríamos fazer algo em série, de forma que cada capítulo expandisse um pouco mais o universo dos personagens”, acrescenta Bruno.

A série é direcionada ao público infanto-juvenil e tem como personagem-título uma menina-saci de nove anos esperta, brincalhona e de personalidade forte. Em um mundo fantástico, onde convivem seres surreais, Ciça e seu melhor amigo, Levi, frequentam uma escola eternamente em reforma na qual são constantemente estimulados a vivenciar situações que os preparem para o mundo adulto.

“Observamos como outros autores abordaram o saci e demais personagens folclóricos em suas histórias”, conta Lucas. “E tivemos o cuidado de não reproduzir estereótipos racistas, muitas vezes associados ao saci”, continua o ilustrador. “Para isso, reforçamos nossa autocrítica e buscamos a orientação de uma leitora de sensibilidade especialista no assunto”, detalha Prosaiko.

Futuramente, Marques e Prosaiko pretendem compilar os quadrinhos de Ciça em uma publicação impressa. Por enquanto, a web é a melhor maneira de a personagem ficar conhecida.

Acesse: cicasaci.com.br. Acompanhe também no Facebook.

Sem mais artigos