Segundo China, atrasos duram quase um ano (Foto: Divulgação)

Segundo China, atrasos duram quase um ano (Foto: Divulgação)

O cantor pernambucano China anunciou que não irá tocar no Carnaval do Recife este ano, por decisão própria. Segundo o músico, o Governo do Estado atrasa pagamento de cachês. Ele citou ainda a antiga gestão da Prefeitura do Recife, comandada por João da Costa (PT).

“Tomar essa decisão foi muito difícil, porque eu adoro fazer shows nessa época do ano e também estou morrendo de saudade do público pernambucano, que sempre lota os espaços públicos para assistir as minhas apresentações, mas essa galera não imagina o que acontece nos bastidores”, disse em um post em seu blog. China afirmou que os cachês eram pagos com três meses depois do show, mas este prazo já chegou a ser atrasado em até onze meses.

“Eu torço para que a nova gestão da prefeitura do Recife ponha um basta nessa questão e comece o novo mandato valorizando os artistas locais, assim como espero que o governo valorize cada vez mais a nossa cultura, pois esse é o nosso maior trunfo”, escreveu.

Através de seu Twitter, a Nação Zumbi é outra banda que não virá ao Carnaval de Pernambuco este ano. A banda também mostrou indignação com o atraso de pagamento de cachês pelo Governo.

Leia o post de China na íntegra.

Não vou tocar no carvanal de PE esse ano

Esse ano eu não faço shows no carnaval de Pernambuco por causa do atraso no pagamento dos cachês acertados com o governo de PE e a antiga gestão da prefeitura do Recife.

Tomar essa decisão foi muito difícil, porque eu adoro fazer shows nessa época do ano e também estou morrendo de saudade do público pernambucano, que sempre lota os espaços públicos para assistir as minhas apresentações, mas essa galera não imagina o que acontece nos bastidores, e por isso escrevo esse texto para explicar a situação.

Sempre fiz shows para eventos do governo e da prefeitura do Recife, e me sujeitava a receber os cachês com três meses de atraso como ficara acordado, pois queria mesmo tocar e mos­trar minhas canções ao grande público, mas a situação se tornou insustentável pois, esses “três meses” foram virando seis, oito, e até onze meses sem receber o que eu tinha direito por meus serviços prestados.

Nunca deixei a prefeitura e o governo na mão, e sempre que fui contratado por eles fiz os meus shows com a maior qualidade possível. Nunca faltei um compromisso e sempre me coloquei a disposição dos orgãos públicos para colaborar com o que fosse preciso.

Me vejo como um parceiro desses orgãos, pois ajudo a levar a cultura pernambucana para o Brasil e para o mundo. Mas uma parceria para dar certo tem que ter os dois lados colaborando, certo?

Não posso jogar a culpa desses atrasos nas costas das pessoas que fazem parte do governo e da prefeitura, inclusive, tenho amigos super competentes que trabalham na Fundarpe e na secretaria de cultura do Recife, que também ficam chateados com essa situação. O problema é a máquina burocrática e o descaso com o assunto. Isto precisa ser revisto.

A cultura é a maior riqueza que o nosso Estado tem para oferecer, e os artistas locais são os portavozes disso tudo. São eles que defendem e divulgam a cultura pernambucana com unhas e dentes, mas sempre são os últimos a serem percebidos pelos orgãos públicos. Uma pena.

E sabe quem mais perde com toda essa confusão? Todo mundo. Eu, você, o governo, o turista, a cultura, todo mundo.

Tenho um monte de amigos paulistas que querem assistir aos shows da Nação Zumbi no carnaval, pois segundo eles, “A energia de Pernambuco faz a Nação Zumbi ficar ainda melhor”, só que não vai ter show dos caras esse ano. Adivinha porque?

Eu torço para que a nova gestão da prefeitura do Recife ponha um basta nessa questão e comece o novo mandato valorizando os artistas locais, assim como espero que o governo valorize cada vez mais a nossa cultura, pois esse é o nosso maior trunfo.

No próximo carnaval a gente se encontra… se a máquina burocrática deixar.

China.

Sem mais artigos