Childish Gambino, a faceta musical do ator, diretor, músico e roteirista Donald Glover, lançou de surpresa a nova música “This Is America” junto com um clipe cheio de significados. Oscilando entre a meiguice e a violência extrema, o vídeo dirigido por Hiro Murai (seu parceiro na premiada série Atlanta) fala de diversos assuntos relacionados ao cotidiano nos negros nos EUA.

São muitas metáforas embaladas em um clipe que traz um trabalho incrível de coreografia, direção de arte e montagem (a edição simula um plano-sequência). Glover começa dançando e fazendo caretas que remetem aos estereótipos racistas da era Jim Crow. Em seguida ele atira em um homem que toca violão despreocupadamente.

Tudo acontece de forma simultânea: é preciso atentar aos diversos detalhes que acontece no vídeo a todo momento. É possível perceber, por exemplo, que todas as armas usadas pelo personagem de Glover são tratadas com todo o cuidado possível, fazendo alusão ao culto às armas nos EUA e também ao paradigma da violência instalado por lá. Ou seja, as pistolas são tratadas com mais respeito do que a vida humana.

Há também muitas referências aos massacres provocados por atiradores e o desrespeito à dor dos negros mortos por policiais. Ao final, correndo do que parecem ser pessoas não-negras, o ator parece fazer referência ao “mundo afundado” de Corra, do diretor Jordan Peele.

E as danças? Há diversas leituras aqui. Segundo a Forbes, esses momentos de alegria e diversão do clipe, contrastando com a violência ao redor, pode dizer respeito ao fato da América se divertir e apoiar essa contribuição cultural da comunidade negra ao mesmo tempo em que ignora as violências sofridas pelos negros.

É um clipe que mostra desperta muitas reações, entre elas o choque, a culpa, a raiva, o incômodo. É, de longe, um dos mais importantes e poderosos comentários culturais do que está acontecendo na América hoje.

A música apareceu na internet no mesmo dia em que Donald Glover foi estrela do Saturday Night Live. No programa ele fez piada com Kanye West (que vive um dos momentos mais bizarros da carreira) e lançou duas faixas inéditas.

Sem mais artigos