Psicodelia e atitude sessentista não sustenta projeto criativo do Celebration

Celebration

CELEBRATION
The Modern Tribe
[4AD, 2007]

Celebration - The Modern Tribe Das cinzas do Love Life e Birdlan – obscuras bandas dos atuais integrantes – surge o Celebration com um objetivo claro: recuperar o espírito e a estética dos cabarés dos anos 1950. Com um pé na psicodelia, a vocalista Katrina Ford até emprega sua voz numa tentativa de soar como uma hippie sessentista. É evidente que foram utilizados efeitos, mas a bateria lisérgica de David Bergander constrói um convincente panorama datado, a real intenção por trás do projeto todo.

The Modern Tribe, o segundo disco deste grupo de Baltimore, EUA continua com a premissa de reinventar ou ao menos reproduzir o peculiar estilo de bandas progressivas inglesas do fim dos anos 1960. “Hands Of My Gold” tenta se disfarçar entre as melhores pérolas do período, mas é desmascarada logo de cara. Não tem como uma banda dos anos 2000 soar como algo minimamente próximo do que já foi feito – e bem – por outros nomes icônicos.

Se o intuito da banda era sensibilizar amantes de bandas como Jefferson Airplanes e Heart, não conseguiram. Se tentaram se estabelecer como bons nomes do revival, erraram de novo: há anos que o revival não é mais um bom parâmetro para se descobrir coisas novas no indie-rock. Perdido em seu projeto revisionista, o Celebration é apenas um conjunto afinado de vocais e bons músicos. O que não basta. [Paulo Floro]

NOTA: 4,5

Sem mais artigos