Cat Power (Foto: Divulgação)

Interpretações de Chan é pérola inconteste do pop
Por Mariana Mandelli

CAT POWER
Jukebox
[Matador, 2008]

Cat Power - JukeboxJá virou clichê dizer que os melhores trabalhos de Chan Marshall foram lançados depois que a cantora largou o álcool. Além de clichê, é simplista demais reduzir o talento da moça – mais conhecida como Cat Power – à abstinência. Jukebox, seu mais novo álbum, oitavo de sua brilhante carreira, é uma mistura de covers e canções próprias – tudo interpretado com o charme e a indefectível voz de Marshall. Possui também, assim como seus discos anteriores, e uma produção impecável, cheio de preciosismos.

A beleza dos arranjos se deve à presença da The Dirty Delta Blues, banda que acompanhou a cantora em sua recente turnê pelo Brasil no TIM Festival 2007. As guitarras de Judah Bauer (Blues Explosion), o teclado de Gregg Foreman (Delta 72), o baixo de Erik Paparazzi (Lizard Music) e a bateria de Jim White (Dirty Three) inserem referências de jazz, blues, folk e country em Jukebox – e o resultado é um álbum coeso e extremamente sensual. O vocal marcante e quente da cantora marca o disco todo, dando uma roupagem encantadora a canções famosas e desconhecidas.

Chan Marshall já havia gravado outro álbuns de versões, o excelente The Cover Record (2000), que contava com covers do Velvet Underground e Rolling Stones, entre outros. Em Jukebox, a cantora encarna James Brown em “Lost Someone” e Hank Williams em “Ramblin’ Woman”, além de emprestar a voz para reviver “New York, New York” (que ganhou o mundo com Frank Sinatra), “Woman Left Lonely” (Janis Joplin), “Don’t Explain” (Billie Holiday), “I Believe In You” (Bob Dylan) e “Fortunate Son” (Creedence Clearwater Revival). Marshall também engrandece “Aretha, Sing One For Me” (de George Jackson), “Lord, Help The Poor & Needy” (de Jessie Mae Hemphill) e “Silver Stallion” (de Lee Clayton).

A reinterpretação de “Metal Heart”, uma das melhores canções da própria Chan Marshall, presente no álbum Moon Pix (1998), é majestosa. Não é a primeira vez que a cantora faz um cover de si mesma – a faixa “Rockets” está presente em Dear Sir (1995) e Myra Lee (1996). “Song To Bobby”, canção inédita escrita pela cantora em homenagem a seu grande ídolo Bob Dylan, é outra pérola que ajuda a transformar Jukebox em mais um grande álbum de Cat Power. Mal começou o ano e já temos um dos melhores discos de 2008. Coisa de diva.

NOTA: 9,0

Sem mais artigos