Celina Winehouse (Foto: Divulgação)

Celina Winehouse é tendência!
Por Carol Santos

A Amy Winehouse brasileira parece ter 12 anos, mas tem 20. Não fuma, não usa drogas, não sai para noitadas em uma grande metrópole. Moradora de Triunfo, no Sertão pernambucano, a simpática Celina Karla compartilha com a cantora o gosto por cabelos longos e um dente a menos – no caso de Celina, por conta de um problema na infância. “Talvez nós duas também não nos importamos com a opinião dos outros e com a aparência”, completa a musa tupiniquim.

Na página no Orkut de Celina, fotos e mais fotos caracterizada como a diva inglesa. Quase sempre com um cigarro na mão – “Não fumo e, como todo mundo percebeu, meu cigarro é feito de papel de caderno”, esclaresce nossa Amy. A base de fãs no site de relacionamentos cresce a cada dia, Celina já foi citada no Papelpop e na Folha Online, mas o forte da sua carreira são mesmo os vídeos do YouTube, onde aparece dublando “Rehab”, a sua música favorita de Amy.

Celina WinehouseCelina, porém, tem um passado negro: antes de ser a “Amy Winehouse brasileira”, dublava clipes de Britney Spears, com resultados bem duvidosos. Hoje, confortável no novo papel, aparece no vídeo de Rehab com um tubo de desodorante como microfone, sincronia zero entre a música e a leitura labial, nenhuma vergonha e, claro, o cigarro feito de folha de caderno, que já virou sua marca registrada. “Eu mesma faço toda a parte de figurino e maquiagem. Claro que eu tenho pessoas que me ajudam na produção dos meus vídeos, mas infelizmente, prefiro não revelar a identidade delas”, diz, misteriosa.

Um novo vídeo já está nos planos da aspirante a celebridade da internet. “Celina Winehouse vai voltar em breve com um novo vídeo, só que dessa vez de consciência social!”, anuncia Celina, na esperança que o sucesso dos primeiros vídeos se repita. No YouTube, ela conseguiu até agora mais de 20 mil acessos.

Celina Karla “A Amy Winehouse Brasileira!” – Rehab (Versão I)

Celina Karla “A Amy Winehouse Brasileira!” – Rehab (Versão II)

SAIBA MAIS
Blog: http://the-cellys.blogspot.com/
Orkut: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=48932597
+ vídeos: http://br.youtube.com/user/cksoad


Webcards

Os cartões virtuais são coisas ultrapassadas na internet. Quem recebe um por e-mail pensa logo que é spam. Mas o site Someecards faz essa ferramenta obsoleta valer a pena. “Eu estou preocupado por você estar tão feliz ultimamente”, “Se algum vez eu atirar em você, vai ser apenas na perna”, “Seu namorado gosta de mim”, “Você é realmente legal e confiável, mas não é meu tipo” e “Obrigado por gritar o nome certo durante o sexo” são apenas algumas das frases dos cartões, acompanhados sempre por desenhos à moda dos anos 50. Imperdível: www.someecards.com

Parada musical

Quando Pelé marcou seu milésimo gol, em 1969, a música “Wedding Bell Blues” estava no topo das paradas. Quando terroristas explodiram as torres gêmeas do World Trade Center, “Fallin’”, de Alicia Keys, era a canção mais tocada nas rádios. E em 5 de junho de 2007, quando a primeira versão da revista O Grito! foi ao ar, era Rihanna quem dominava a lista das mais tocadas com sua “Umbrella”. Quer saber outras datas? É só conferir o site. A página, horrenda, tem um design à la 1995, mas é bem informativa.

YouTube

O cantor e compositor Adam Green provou que tem outros talentos além da música numa entrevista recente para a TV alemã. Visivelmente bêbado, ele entrou no palco de um programa ao vivo com uma garrafa de cerveja e deu uma de comediante. Depois de várias frases desconexas e história absurdas, o apresentador pergunta ao cantor: “Isso é uma imagem que você criou ou você é mesmo um pouco estranho?”. Sem titubear, Adam responde: “Eu sou apenas o tipo de cara que quer sentar no seu colo”. E senta. Forte rival para a hilária entrevista com Serge Gainsbourg e Whitney Houston (“I said I want to fuck her”).

Adam Green – TV Total

Mapas

O Google Maps tem uma série infindável de utilizações: desde infográficos para a CNN até divertir os ociosos com imagens engraçadas. O escôces Charles Cumming – do projeto literário We Tell Stories, que tem a idéia de apresentar seis histórias com estilos/construções inovadoras – criou o suspense policial 21 Steps todo nos mapas do Google. Assim, o leitor pode ver na tela os locais onde a história se passa e ainda interagir com os mapas. Vale a pena também dar uma lida nas outras cinco histórias do projeto. Há, por exemplo, uma história que foi escrita durante seis dias, uma hora por dia, e os internautas podiam acompanhar o desenvolvimento do conto em tempo real. Tudo em inglês. Confira:
http://wetellstories.co.uk/stories/week1/

——
Carol Santos é jornalista. Escreve nesse espaço sobre internet, tecnologia e o que mais seu radar pop encontrar pela rede.

Sem mais artigos