Foto: Flora Pimentel

Foto: Flora Pimentel

FORTES EMOÇÕES
Tulipa Ruiz reforça popularidade e ótima fase no segundo dia do Rec Beat

Tulipa Ruiz fez o show mais relevante do Rec Beat este ano (e o festival nem terminou). Pela repercussão que teve com seu disco Tudo Tanto ano passado e pela escalada de popularidade que vem alcançando no País, a apresentação no Carnaval do Recife neste domingo (10) é um dos pontos altos na carreira de Tulipa.

Leia Mais:
Primeiro dia de Rec Beat teve punk rock de Karina Buhr
Quanta Ladeira é pra quem aguenta brincadeira pesada

A apresentação de Tulipa este ano teve o timing certeiro que em anos anteriores foram Gaby Amarantos, Céu, Vanguart. Ela chegou mandando logo seu maior hit, “É”, que tem um clipe em alta rotação. Testou o público e saiu bem: praticamente todo mundo sabia cantar em coro. A maior parte do repertório foi do mais recente trabalho, Tudo Tanto, como “Desinibida”, “Bom”. Mas, nenhum momento foi tão instigante quanto “Víbora”, a faixa que melhor mostra o apuro vocal da voz de Tulipa e o quanto ela se destaca na música brasileira hoje.

Ela sai do fundo do palco, de vestido branco e depois, ajoelhada ao chão, ganha holofotes que a fazem brilhar. É algo de muito impacto e que mostrou a cantora visivelmente emocionada. O show teve participação de Marcelo Jeneci, em seu décimo Carnaval no Recife. Juntos, eles fizeram uma homenagem à Pernambuco, mas a parceria esfriou o público em “Dia a Dia Lado a Lado”. A faixa é incrível e já foi executada ao vivo, mas ali naquele contexto, pareceu não funcionar.

dom12

O público correspondeu a qualquer expectativa que a cantora tinha sobre sua popularidade e o ótimo momento que está sua carreira hoje.

Neste domingo, outro show aguardado foi da banda colombiana Monsieur Periné, que chegou ao Brasil como a revelação do ano na música latino-americana. Eles misturam o que convencionamos chamar de “música cigana” com jazz swing, rock e ritmos latinos, como porro e cumbia. Tudo isso passeando nos idiomas francês e espanhol. É um tipo de show que a experiência do Rec Beat mostrou que dá muito certo. A bagunça sonora (no bom sentido) instigou um povo super animado a fazer performances na plateia.

O dia ainda teve o Kosta Kustov, Juan Cicerol e a banda Uh La La, outra promessa do pop nacional. Amanhã a grande expectativa é pelo show de B Negão e os Seletores de Frequência, que fecha o dia, e Anelis Assumpção.

Mais imagens do domingo no Rec Beat
Fotos de Maíra Gamarra e Flora Pimentel

[nggallery id=119]

 

Sem mais artigos