Capote no Kansas (Parte)

CAPOTE NO KANSAS

Ande Sparks (texto) e Chris Samnee (arte)
[Devir, 2007, R$ 24,90]

Capote no KansasTruman Capote escreveu um dos mais importantes livros do jornalismo literário, A Sangue Frio. Na verdade, este termo nem fazia muito sentido antes do escritor buscar na pequena cidade do Kansas a inspiração para sua obra. A história é conhecida : a chacina de uma família por dois assassinos. Mas a história de Truman na cidade, e as implicações que isso causou entre a população e os acusados, só seriam relatados por seus biógrafos, como Gerald Clarke em 1988.

Capote no Kansas é mais um relato romanceado deste período da vida do escritor. Assim como no filme de Bennet Miller (Capote), indicado ao Oscar em 2006, o principal foco narrativo são as contradições do refinado gentleman de Manhattan, e a vida pacata do interior dos EUA. A partir disso, várias tramas se desenvolvem, como a relação de Truman com um dos assassinos, o relacionamento distante com seu parceiro, sua amiga e companheira Nelle Hooper e, claro, sua transformação pessoal ao longo dos cinco anos que passou escrevendo sobre o caso.

O roteirista Ande Parks, no entanto, decidiu se apoiar em apenas um elemento desta parte da biografia de Truman. Na história, Parks decidiu colocar o fantasma de uma das vítimas como interlocutora do escritor. Assim que ela aparece, não está claro se ela está viva ou morta. Só depois é que notamos que Capote está falando com um fantasma. Ele não só tinha se tornado um médium, como estava indo de encontro à sua personalidade, já que desde o início da graphic novel o vemos auto-indulgente.

Este elemento fácil torna a HQ limitada ao anular quase todas as outras possibilidades de narrativa. Ao apelar para a história da menina morta servindo como ponte moral, apela para o piegas. Uma personagem excelente como a amiga Nelle ou até mesmo o prisioneiro Jack foram muito mal utilizados. Nativo do Kansas, Parks se dedicou bastante a esta graphic novel.

Antes, ele era mais conhecido pelo seu trabalho em Arqueiro Verde, junto com seu colaborador frequente Phil Hester. No entanto, Capote no Kansas traz momentos interessantes, como a cena em que Capote flerta e transa com outro cara no Kansas, enquanto nos recordatórios, escreve uma carta para seu parceiro em NY.

Esta graphic novel foi lançado originalmente pela Oni Press, editora independente norte-americana. A Devir após perder os direitos da Vertigo/Wildstorm para a Pixel apostou na concorrência para trazer novos títulos para o mercado brasileiro. A editora já publicou outro título da Oni Press, Courtney Crumrim e as Criaturas da Noite, de Ted Naifeh. [Paulo Floro]

NOTA: 5,5

Sem mais artigos