A exibição do filme Ensaio sobre Cegueira, do diretor brasileiro Fernando Meirelles ontem, no festival de Cannes dividiu. Os jornais de hoje que estão cobrindo o evento classificaram em sua maioria como “silêncio e o desconforto deixados no ar” a exibição de ontem. Em coletiva de imprensa, Meirelles afirmou que o filme é “um tanto complexo para interpretação”. Uma jornalista britânica enxergou no filme um subtema do “abandono estatal”, como o observado durante a tragédia do Katrina, em Nova Orleans, algo que, para o olhar brasileiro, poderia já ter uma leitura nacional em relação às prisões do país.

Segundo o crítico do Jornal do Commercio Kleber Mendonça Filho, enviado para cobrir o evento, “O filme deixa sensação curiosa no espectador ao investigar os efeitos da ‘treva branca’ que o prêmio Nobel José Saramago descreve no seu livro, ‘um mar de leite’ que chama a atenção pela luz, e não a escuridão. A sensação parece marcada por um reconhecimento do esforço de produção, mas também pela já citada sensação de um terreno já muito trilhado.”

Sem mais artigos