Após um jejum de 22 anos, o Brasil voltar a emplacar com um prêmio de melhor atriz em Cannes. Neste domingo, a atriz brasileira Sandra Corveloni foi anunciada como melhor atriz da 61ª edição do Festival de Cannes por sua atuação no filme Linha de Passe, de Walter Salles Jr. e Daniela Thomas. A última vez que o Brasil havia ganho nesta categoria, na mesma premiação, foi em 1986, com Fernanda Torres, por Eu sei que vou te amar, de Arnaldo Jabor.

Sandra deixou para trás concorrentes fortes, como Angelina Jolie, que disputava por Changelling, de Clint Eastwood. No filme, Sandra faz uma mãe solteira que vive com quatro filhos na periferia de São Paulo.

A Palma de Ouro foi para o filme francês Entre Paredes (Entre les murs), de Laurent Cantet, em decisão unânime do júri. Com esse resultado, mais um tabu foi quebrado na Croisette. Desde 1987, o a França não levava o prêmio principal.

O ator porto-riquenho Benicio del Toro ficou com o troféu de melhor ator, por sua atuação visceral no filme Che, de Steven Sorderbergh, segundo os críticos.

Os irmãos Pierre e Jean-Luc Dardenne não levaram a esperada terceira Palma de Ouro para casa, mas saíram com o honroso prêmio de roteiro, por O silêncio de Lorna.

Veja abaixo a lista dos vencedores do 61º Festival de Cannes.

Palma de Ouro: “Entre les murs” do francês Laurent Cantet

Grand Prix: “Gomorra” do italien Matteo Garrone

Prêmio do Júri: “Il Divo” do italiano Paolo Sorrentino

Melhor Atriz: a brasileira Sandra Corveloni (“Linha de Passe”)

Melhor Ator: o porto-riquenho Benicio del Toro (“Che”)

Melhor Diretor: o turco Nuri Bilge Ceylan (“Three Monkeeys”)

Melhor Roteiro: os belgas Jean-Pierre et Luc Dardenne (“O silêncio de Lorna”)

Palma de Ouro para Curta-metragem: “Megatron”, do romeno Marian Crisan

Câmera de Ouro: “Hunger”, do inglês Steve McQueen

Prêmio especial do 61º Festival de Cannes: a atriz francesa Catherine Deneuve (“Un conte de Noël”) e o ator e diretor americano Clint Eastwood (“The Exchange”)

Sem mais artigos